EUA ordena vacinação obrigatória de militares contra Covid-19

EUA ordena vacinação obrigatória de militares contra Covid-19

Joe Biden disse em um comunicado que apoia "fortemente" essa decisão

AFP

Pentágono ordenou que todos os membros das Forças Armadas americanas sejam vacinados

publicidade

O Pentágono ordenou que todos os membros das Forças Armadas americanas sejam vacinados contra a Covid-19 até meados de setembro, informou o secretário de Defesa, Lloyd Austin. A nota foi divulgada nesta segunda-feira (9).

Austin disse que tornará a vacinação obrigatória em todos os serviços até 15 de setembro, ou mesmo antes, se a vacina Pfizer ou outras obtiverem aprovação total da Food and Drug Administration (FDA), de acordo com a nota. O presidente Joe Biden disse em um comunicado que apoia "fortemente" essa decisão, dizendo: "Essas vacinas salvam vidas".

De acordo com Austin, antes da ordem de vacinação ser emitida, os militares "também monitorariam de perto as taxas de infecção, que agora estão aumentando devido à variante delta, e o impacto que essas taxas poderiam ter em nossa preparação". "Não hesitarei em agir antes ou recomendar um rumo diferente ao presidente, se sentir a necessidade de fazê-lo", disse ele.

Como as vacinas só tiveram aprovação de emergência, os comandantes militares dos EUA até agora não haviam obrigado as tropas a tomá-las, como fazem com outras vacinas. Mais da metade dos 2,5 milhões de soldados na ativa e na Guarda Nacional federal - força de reservistas - foram vacinados, de acordo com estatísticas do Pentágono. Isso gerou garantias nos círculos do governo dos Estados Unidos, preocupados de que o vírus pudesse afetar a prontidão militar.

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895