Ex-militar dos EUA é preso por planejar ataque terrorista em Los Angeles
capa

Ex-militar dos EUA é preso por planejar ataque terrorista em Los Angeles

Atentado seria réplica aos ataques contra mesquita na Nova Zelândia

Por
AFP

Ex-militar foi detido ao tentar transportar um dos dispositivos para o carro de um agente disfarçado

publicidade

Um ex-militar americano foi detido por suspeita de planejar um atentado terrorista de grande envergadura, em Los Angeles, em represália aos ataques contra uma mesquita na Nova Zelândia - informou a Justiça nesta segunda-feira. Mark Steven Domingo, de 26 anos, um ex-soldado de Infantaria do Exército que combateu no Afeganistão e professava a fé muçulmana, foi detido na sexta-feira e enfrenta acusações federais por um plano de detonar "um improvisado artefato explosivo com o objetivo de causar baixas em massa".

O ex-militar foi preso por um policial disfarçado quando recebia o que pensava ser uma bomba, que utilizaria contra uma manifestação em Long Beach no final de semana. "Esta investigação desmantelou com sucesso uma ameaça muito real planejada por um militar com experiência de combate, que reiteradamente afirmou que pretendia causar o maior número de baixas", declarou o promotor federal Nick Hanna. Domingo foi denunciado por "planejar e agir para criar uma arma de destruição em massa para cometer homicídio em grande escala". 

Domingo manifestou na Internet e a fontes do FBI seu apoio à "violência jihadista, seu desejo de buscar represália aos ataques contra muçulmanos e que queria se tornar um mártir". O plano era detonar a bomba durante uma manifestação de supremacistas brancos convocada para o domingo em Long Beach, evento que finalmente não foi realizado. "Os Estados Unidos precisam de outro Las Vegas", escreveu o ex-militar na Internet em referência ao atirador que em outubro de 2017 matou dezenas de pessoas.  Após o ataque à mesquitas na Nova Zelândia, no dia 13 de março, Domingo escreveu: "Precisa haver vingança". 

As declarações violentas despertaram o interesse do FBI, que iniciou uma invetigação online no começo de março deste ano. Domingo entrou em contato com um informante do FBI desfarçado e pediu para que comprasse uma bomba, adquirindo também milhares de pregos para usar como estilhaços. No meio de março eles se encontraram para conversar sobre os supostos alvos e o ex-militar afirmou querer atacar um grande número de pessoas e lugares, incluindo a National Guard Armory (Arsenal da Guarda Nacional).

As conversas continuaram por semanas até Domingo decidir que era hora de atacar. Tendo o Santa Monica Píer como local, o informante disse que foi encarregado de "encontrar o lugar mais lotado para que assim morram mais pessoas". 

O ex-militar foi detido ao tentar transportar um dos dispositivos para o carro de um agente disfarçado.