Governo português ordena que transportadores retomem abastecimento
capa

Governo português ordena que transportadores retomem abastecimento

Devido à greve, Executivo declarou "situação de crise de energia" até 21 de agosto

Por
AFP

Sindicatos em greve exigem aumentos salariais

publicidade

O Governo português ordenou nesta segunda-feira que os transportadores voltem ao trabalho, no primeiro dia de uma greve indefinida que ameaça o abastecimento de combustível em pleno período de férias no Hemisfério Norte. "Não tinha outra solução", declarou em coletiva de imprensa o secretário de Estado, Tiago Antunes, porta-voz do Governo socialista, ao fim de um conselho extraordinário de ministros.

Depois de verificar que os serviços mínimos foram respeitados no período da manhã, o primeiro-ministro, Antônio Costa, declarou que a situação evoluiu negativamente, abrindo caminho para a mobilização de operadoras. Parte dos 500 policiais e gendarmes que foram treinados para dirigir caminhões-tanque tiveram que ser mobilizados para substituir os grevistas. Uma das disposições de mobilização também permitirá que os militares cumpram essa função, informou o governo.

A medida será implementada "nas regiões e setores onde os serviços mínimos não foram respeitados", afirmou, citando aeroportos e a região do Algarve (sul), onde muitos turistas portugueses e estrangeiros passam o verão. No aeroporto de Lisboa, o "ritmo de abastecimento é insuficiente", disse um porta-voz da gestora de aeroporto portuguesa ANA, afirmando que medidas de racionamento foram implementadas no reabastecimento da aeronave. 

Na manhã de segunda-feira, comboios de caminhões-tanque saíram dos principais depósitos de combustível do país, escoltados pela polícia. Os sindicatos em greve, que exigem aumentos salariais, acusaram as empresas de transporte de pressionar os motoristas a convencê-los a desistir do protesto e trabalhar além dos serviços mínimos impostos pelo governo.