Governo sueco quer mais poderes para luta contra novo coronavírus
capa

Governo sueco quer mais poderes para luta contra novo coronavírus

País passou de 7 mil casos confirmados e 477 mortes, índice muito superior ao observado entre seus vizinhos do norte

Por
AFP

Ministra da Saúde na Suécia, Lena Hallengren admitiu que país precisa de maior rapidez contra Covid-19

publicidade

O governo sueco, criticado por sua gestão da crise de saúde ligada ao novo coronavírus, apresentou nesta segunda-feira um projeto de lei para fortalecer temporariamente seus poderes, a fim de combater a pandemia. Texto permitiria que o governo liderado pelo social-democrata Stefan Löfven adotasse medidas como limitar reuniões públicas ou decretar o fechamento de negócios, sem a necessidade da aprovação do Parlamento unicameral.

"A Suécia e o mundo estão enfrentando uma situação grave causada pelo coronavírus", disse a ministra da Saúde, Lena Hallengren, em comunicado. "Vemos a necessidade de ser capaz de agir rapidamente, se a situação exigir, é uma questão de proteger vidas humanas", continuou ela. 

No entanto, observa o Executivo, as disposições futuras apenas concederiam poderes adicionais ao governo por um período de três meses, situação que ainda preocupa a oposição. O chefe do partido conservador Ulf Kristersson disse em comunicado que o projeto carecia de uma definição clara de como os poderes adicionais poderiam ser usados.

Embora reconhecendo a necessidade de decisões rápidas em tempos de crise, Kristersson acredita que as medidas também devem ter "legitimidade democrática".  O projeto de lei ainda precisa ser aprovado pelo Parlamento. 

No reino escandinavo, o confinamento obrigatório da população não foi decretado, como em outros países europeus para conter a epidemia. O governo pede a todos que "assumam suas responsabilidades" e sigam as recomendações das autoridades de saúde.

Entre as medidas mais rigorosas até agora, está a proibição de reunir mais de 50 pessoas e de visitas a casas de repouso. A maneira como o reino está administrando a crise da saúde, que é menos restritiva do que a maioria dos países europeus, tem levantado críticas, nacional e internacionalmente, mas o governo rejeita qualquer postura de passividade. 

"Não, não é como se não estivéssemos fazendo nada na Suécia", defendeu a ministra da Saúde, Lena Hallengren, durante uma reunião com a imprensa internacional na quinta-feira em Estocolmo. 

O país de 10,3 milhões de habitantes acaba de cruzar o marco de 7 mil casos confirmados e 477 mortes, índice significativamente superior à observada entre seus vizinhos do norte.

Como prevenir o contágio do novo coronavírus 

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, há pelo menos cinco medidas que ajudam na prevenção do contágio do novo coronavírus:

• lavar as mãos com água e sabão ou então usar álcool gel.

• cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.

• evitar aglomerações se estiver doente.

• manter os ambientes bem ventilados.

• não compartilhar objetos pessoais.