Igreja é incendiada no primeiro protesto do ano no Chile

Igreja é incendiada no primeiro protesto do ano no Chile

Templo ardia em Santiago enquanto protestos pacíficos eram feitos em outros locais

AE

Manifestantes invadiram o templo e também atearam fogo nos móveis, que levaram para fora

publicidade

Uma igreja destinada aos serviços religiosos da polícia chilena foi incendiada na última sexta-feira durante o primeiro protesto do ano no Chile para exigir reformas sociais. Localizada perto da Praça Itália, em Santiago, epicentro da maioria das manifestações que começaram em outubro do ano passado, a igreja de São Francisco de Borja começou a arder após ser atacada por um grupo de homens encapuzados, segundo testemunhas.

Os manifestantes invadiram o templo, construído em 1876 e administrado pela polícia há mais de quatro décadas, e também atearam fogo nos móveis que levaram para a rua. O incêndio no interior da igreja começou poucas horas após o início de uma nova manifestação.

Grupos de homens encapuzados entraram em confronto com a polícia em torno da igreja, enquanto em outros locais os manifestantes protestaram pacificamente por reformas sociais e contra o governo de Sebastián Piñera.

Até o momento, os protestos deixaram 29 mortos e obrigaram o governo a convocar um plebiscito para 26 de abril, que decididirá se deve ou não ser alterada a Constituição do país, elaborada durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895