Irã pede ao Canadá que compartilhe informação sobre avião ucraniano

Irã pede ao Canadá que compartilhe informação sobre avião ucraniano

O Primeiro-ministro canadense afirmou, nesta quinta-feira, que o Boeing 737 foi derrubado por um míssil iraniano

AFP

O ministério iraniano das Relações Exteriores pediu também para a Boeing "participar" do processo

publicidade

O Irã solicitou nesta quinta-feira ao Canadá que compartilhe sua informação sobre a queda do avião ucraniano na região de Teerã, que matou as 176 pessoas a bordo, após o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, afirmar que foi derrubado por um míssil iraniano.

Em um comunicado sobre "certas colocações de cenários duvidosos", o ministério iraniano das Relações Exteriores pediu ao Canadá que "compartilhe" as informações com a comissão de investigação criada no Irã e convidou a Boeing, fabricante da aeronave, para "participar" do processo.

"A República Islâmica do Irã começou sua investigação para identificar a causa da queda deste avião, com base nos padrões internacionais e nas regulamentações" da aviação civil internacional. O Irã "convida a Ucrânia, como proprietária do avião, e a Boeing, como fabricante do avião, a participar da investigação", acrescenta o comunicado do ministério. Teerã disse estar disposto a integrar na investigação especialistas de todos os países que perderam cidadãos na tragédia. 

As pessoas a bordo que faleceram eam principalmente canadenses de origem iraniana, mas também afegãos, britânicos, suecos e ucranianos.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta quinta-feira que dispõe de informações de que o avião ucraniano foi "derrubado" por um míssil iraniano. O premier canadense, Justin Trudeau, também revelou ter informação, de múltiplas fontes, de que o avião foi derrubado por um míssil terra-ar iraniano". Ao apresentar as condolências do Irã às famílias das vítimas, a chancelaria pediu "a todos os governos que têm informações" sobre a tragédia que as compartilhem com o "comitê de investigação iraniano". 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895