Já são 35 vacinas contra Covid-19 com testes em humanos, diz diretor-geral da OMS

Já são 35 vacinas contra Covid-19 com testes em humanos, diz diretor-geral da OMS

Em abril, a entidade lançou um mecanismo para acelerar a distribuição justa de imunizantes contra o novo coronavírus

AE

Já são 35 vacinas contra Covid-19 com testes em humanos, diz diretor-geral da OMS

publicidade

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta quinta-feira que há cerca de 180 vacinas contra a Covid-19 em desenvolvimento, sendo que 35 delas já estão na fase de testes em humanos. Durante entrevista coletiva, ele comentou que nenhuma doença na história teve um desenvolvimento tão rápido nas pesquisas.

Em abril, a OMS e vários parceiros, entre eles a União Europeia (UE), lançaram um mecanismo para acelerar o desenvolvimento e a distribuição justa de vacinas, diagnósticos e terapias. Segundo Tedros, porém, essa iniciativa precisará de um "aumento significativo no financiamento" para atingir suas metas. O mecanismo já recebeu 2,7 bilhões de dólares, mas segundo a autoridade isso é menos de 10% do que será necessário.

O diretor-geral da OMS lembrou também que há várias pesquisas de medicamentos em andamento e disse que a dexametasona foi o único até agora a se mostrar eficaz contra a doença nesses testes, neste caso para pacientes mais graves.

Em busca do melhor cenário 

Consultor sênior da Organização Mundial de Saúde (OMS), Bruce Aylward afirmou hoje que não tem sido atingido o melhor cenário possível na busca por uma vacina para a Covid-19. Durante entrevista coletiva, porém, ele sinalizou que isso não foge muito do esperado, considerando normais as interrupções como a da AstraZeneca nesta semana - a companhia paralisou sua fase 3 de ensaios clínicos após um paciente ter reação adversa à vacina. Nesse quadro, Aylward afirmou que deve haver resultados da fase 3 de testes "no mínimo" no fim deste ano ou no início do próximo.

Já Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS, considerou um "procedimento normal" o fato de a AstraZeneca ter interrompido a fase 3 de ensaios clínicos de sua vacina. Ela disse, durante a entrevista, que esse é "um lembrete dos altos e baixos" na busca por um imunizante eficaz.

Soumya disse que é preciso ainda esperar para se saber detalhes sobre esse episódio. A empresa até agora informou que parou o teste diante de um caso de efeito colateral grave à vacina em um dos pacientes. A cientista-chefe da OMS afirmou, ainda, que os envolvidos agora devem revisar os dados e decidir sobre os próximos passos.

De acordo com a autoridade de saúde, os resultados da fase 3 de testes das vacinas devem começar a surgir no fim deste ano ou no início de 2021. Soumya Swaminathan ressaltou que é preciso esperar para ver se elas serão de fato eficazes, mas também disse que a maioria das candidatas que superaram a fase 2 de testes mostrou "resultados promissores" até agora.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895