Joe Biden anuncia proibição de importações de petróleo da Rússia

Joe Biden anuncia proibição de importações de petróleo da Rússia

Antes da invasão russa à Ucrânia, barril do tipo brent custava pouco mais de US$ 90 e hoje estava em US$ 131

R7

Joe Biden este reunido com líderes de Estado da União Europeu (UE) e do Grupo dos Sete (G7)

publicidade

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira (8) o banimento do petróleo da Rússia no país. "A medida foi tomada junto com nossos aliados para responder a essa agressão russa", explicou.

A suspensão aumenta a lista de sanções que já foram implementadas pelos países do Ocidente contra o governo do presidente Vladimir Putin desde a invasão à Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Cerca de 8% do petróleo do país atualmente é comprado da Rússia. O presidente americano pediu a ajuda dos empresários do país para evitarem a subida exagerada dos preços. "Não é hora de lucros exorbitantes", disse.

"Na verdade, desde que Putin entrou na Ucrânia o preço da gasolina já subiu 0,75 dólares nos Estados Unidos, e vamos fazer de tudo para que ele não continue prejudicando nossa economia", comentou Biden. "Vou fazer de tudo para pressionar Putin", justificou.

Segundo o democrata, o fim das importações será positivo porque vai ajudar a tirar dos russos poder econômico para financiar a guerra. Ele citou na sequência uma série de sanções já adotadas pelas principais economias do mundo contra a Rússia.

Após a declaração dos EUA, espera-se agora o pronunciamento de outros chefes de Estado, vários deles mais dependentes que os americanos do petróleo russo. 

A medida de banir o petróleo russo vinha sendo estudada por técnicos e integrantes do governo norte-americano e representantes de outros países do mundo, por causa do impacto que a decisão poderia ter na economia global. 

A Bolsa de Valores do Brasil, a B3, anotava queda de 0,35% durante a fala de Biden nesta terça-feira.  Em Nova York, as operações apresentavam índice negativo de aproximadamente 2%.

Nos últimos dias, representantes do governo Biden foram à Venezuela checar se o país poderia ajudar a controlar os estoques mundiais de petróleo com a saída da Rússia. Antes do pronunciamento de Biden, o preço do barril de petróleo brent avançava acima de US$ 131. Antes do início da invasão russa, em 24 de fevereiro, o valor, que já era considerado alto, estava pouco acima de US$ 90.

 


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895