Kremlin afirma que considera região ucraniana de Kherson como russa, apesar da retirada militar

Kremlin afirma que considera região ucraniana de Kherson como russa, apesar da retirada militar

Ucrânia adquiriu um sistema lançador de foguetes de alta precisão

AFP

publicidade

A Rússia continua considerando que toda a região ucraniana de Kherson, incluindo sua capital de mesmo nome, lhe pertence, apesar da retirada do Exército russo desse território, que Moscou anexou em setembro.

A região de Kherson "é uma questão da Federação Russa", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. "Não pode haver mudança", acrescentou, no primeiro comentário da Presidência russa sobre a retirada de suas forças daquele território, anunciada na quarta-feira, diante do avanço ucraniano.

Peskov acrescentou que a Presidência russa "não lamenta" a grande cerimônia de anexação realizada em setembro, quando o presidente Vladimir Putin proclamou que quatro regiões da Ucrânia, incluindo Kherson, passariam a pertencer à Rússia. O porta-voz se recusou a comentar a retirada de Kherson, um duro revés militar após vários meses de campanha em que esta cidade foi a única capital regional a ser tomada pelos russos.

O anúncio da retirada foi feito depois que as tropas russas se retiraram da região de Kharkiv, no nordeste, em setembro. Moscou afirmou que está se retirando da margem ocidental do rio Dnieper, onde está localizada a cidade de Kherson, para consolidar suas posições do outro lado, estabelecendo uma barreira natural.

A Ucrânia conseguiu, com a ajuda de países ocidentais, especialmente com um sistema lançador de foguetes de alta precisão HIMARS, destruir as rotas de abastecimento dos russos, forçando-os a se retirar.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895