Mianmar deve repatriar rohingyas

Mianmar deve repatriar rohingyas

EUA acreditam que país deva punir responsáveis por massacres

AFP

Mianmar deve repatriar rohingyas

publicidade

Os Estados Unidos querem que Mianmar acolha centenas de milhares rohingyas em seus povoados de origem no estado de Rakhine, do qual saíram para Bangladesh devido a violências e confrontos, indicou neste sábado um
funcionário americano de alto escalão em Daca. Simon Henshaw, assessor da Secretaria de Estado, que visitou campos de refugiados no Sudeste de Bangladesh, disse que Mianmar deve punir aqueles que cometeram as atrocidades em Rakhine e provocaram esse êxodo.

"Diante de tudo, é responsabilidade (de Mianmar) que a segurança e a estabilidade retornem ao estado de Rakhine. Em segundo lugar, é sua responsabilidade investigar os relatórios das atrocidades executadas", disse à imprensa Henshaw em Daca, advogando que "permitam" aos rohingyas "retornar a sua terra".

Mais de 600 mil rohingyas se refugiaram em Bangladesh desde que começou, em agosto, uma operação militar birmanesa, que a ONU considera uma "limpeza étnica". As autoridades birmanesas negam as acusações, argumentando que seu único objetivo é erradicar a rebelião muçulmana do Exército de Salvação Rohingya de Rakhine.
Os rohingyas representam a maior população apátrida do mundo desde que a junta militar retirou a sua nacionalidade birmanesa em 1982.

Não dispõem de documentos de identidade, não podem se casar ou viajar sem autorização, e tampouco têm acesso ao mercado de trabalho e aos serviços públicos, como escolas e hospitais.

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895