Nova primeira-ministra da Suécia renuncia horas após ser nomeada

Nova primeira-ministra da Suécia renuncia horas após ser nomeada

Com retirada de aliados ecologistas do governo, Magdalena Andersson afirmou que descarta liderar um "governo cuja legitimidade esteja em questão"

AFP

Com retirada de aliados ecologistas do governo, Magdalena Andersson afirmou que descarta liderar um "governo cuja legitimidade esteja em questão"

publicidade

Menos de oito horas após sua eleição pelo Parlamento, a nova primeira-ministra sueca Magdalena Andersson foi forçada a renunciar nesta quarta-feira (24) após o fracasso de seu orçamento e a retirada de seus aliados ecologistas do governo.

"Há uma prática constitucional segundo a qual um governo de coalizão renuncia quando um partido sai. Não quero liderar um governo cuja legitimidade esteja em questão", declarou a líder social-democrata, acrescentando que espera ser reeleita em uma votação futura.

Andersson havia se tornado a primeira mulher eleita para o cargo de primeira-ministra na Suécia, depois de fechar um acordo de última hora com o Partido de Esquerda na terça-feira para aumentar as pensões em troca de seu apoio na votação de quarta-feira.

Mas o pequeno partido de centro retirou seu apoio ao orçamento de Andersson, devido às concessões feitas à esquerda, resultando em votos insuficientes para aprovar o orçamento no Parlamento.

Andersson, de 54 anos, era até agora ministra das Finanças no governo do primeiro-ministro Stefan Löfven, que renunciou em novembro após sete anos no cargo.

Veja Também


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895