OEA confirma envio de missão eleitoral ao Peru

OEA confirma envio de missão eleitoral ao Peru

Missão irá verificar as eleições gerais de 11 de abril de 2021

AFP

Peruanos se manifestaram contra novo governo após impeachment de Martin Vizcarra, nesta quarta-feira

publicidade

A Organização dos Estados Americanos (OEA) enviará uma missão de observação eleitoral ao Peru "em tempo e forma" para a preparação das eleições do próximo ano, informou nesta quinta-feira a secretaria geral do órgão regional.

Um dia depois de expressar "sua profunda preocupação" com a crise política no Peru após a destituição do presidente Martín Vizcarra, o gabinete do secretário-geral da OEA, Luis Almagro, ratificou a criação da missão para verificar as eleições gerais de 11 de abril de 2021.

"A Secretaria-Geral da OEA confia plenamente que tanto a disposição do novo Poder Executivo - em particular - como a tradicional força das instituições republicanas do Peru -em geral - contribuirão para o cumprimento da Missão Eleitoral", afirmou em nota.

Ele observou que "levando em consideração o contexto complexo da pandemia", a missão realizará seu trabalho "sob um esquema presencial e virtual com bastante antecedência" da data das eleições. "Para isso, o chefe da Missão e a sua equipa irão analisar todos os aspectos inerentes a um processo eleitoral, tais como organização, logística, informática eleitoral, justiça eleitoral e âmbito do diálogo com os atores eleitorais, tanto as forças institucionais como as políticas participantes", especificou.

A missão eleitoral será realizada em resposta a um convite do Júri Eleitoral Nacional (JNE) do Peru no dia 7 de outubro e será chefiada pelo ex-chanceler do Paraguai Rubén Darío Ramírez Lezcano e integrada por especialistas eleitorais e observadores de diferentes nacionalidades, disse o escritório de Almagro.

O novo presidente do Peru, Manuel Merino, assumiu o cargo na terça-feira depois que o Congresso removeu Vizcarra da presidência por "incapacidade moral". A secretaria-geral da OEA afirmou nesta quarta-feira que compete ao Tribunal Constitucional do Peru pronunciar-se sobre a "legalidade e legitimidade" das decisões adotadas pelo Congresso.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895