Pedidos de asilo na UE subiram 28% no primeiro semestre de 2023

Pedidos de asilo na UE subiram 28% no primeiro semestre de 2023

Sírios, afegãos, venezuelanos, turcos e colombianos são os principais solicitantes

AFP

publicidade

Os pedidos de asilo registrados nos países da União Europeia (UE), Noruega e Suíça no primeiro semestre de 2023 aumentaram 28% na comparação com o mesmo período do ano passado, anunciou a Agência da UE para Asilo.

Um total de 519 mil solicitações de asilo foram apresentadas nos 29 países entre janeiro e o fim de junho, informou a agência, que também considera que "segundo as tendências atuais, as demandas podem superar um milhão até o fim do ano". Sírios, afegãos, venezuelanos, turcos e colombianos são os principais solicitantes, com 44% das demandas.

Os pedidos de asilo no primeiro semestre registraram o maior nível para o período janeiro-junho desde 2015-2016. No período 2015-2016, quando o fluxo de refugiados para a Europa aumentou com o agravamento do conflito na Síria, o número de pedidos de asilo chegou a 1,3 milhão (em 2015) e 1,2 milhão (em 2016). Em 2022 foram 994.945.

A Alemanha é o país com mais demandas de asilo, 30% do total, quase o dobro da Espanha (17%) e da França (16%). Quatro milhões de ucranianos que fugiram da invasão russa recebem atualmente uma proteção temporária na UE.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895