Peru confirma recorde de 98 mil órfãos deixados pela Covid-19

Peru confirma recorde de 98 mil órfãos deixados pela Covid-19

País tem maior taxa de mortalidade do mundo, com mais de 6,1 mil óbitos por milhão

AFP

País tenta recuperar controle da pandemia com vacinação

publicidade

A pandemia de Covid-19 deixou um recorde de quase 98 mil menores órfãos de pai, mãe ou cuidador, anunciou o governo nesta quinta-feira. "Ostentamos o triste recorde de sermos o país com maior número de crianças que perderam um pai, uma mãe", lamentou a ministra da Mulher, Anahí Durand, com base em cifras divulgadas pela revista médica "The Lancet".

Segundo a ministra, o ministério distribui uma pensão de 200 soles (cerca de US$ 50), que beneficia mais de 18 mil famílias, mas é necessário ampliar o alcance desse benefício com uma lei. O governo pretende estender a pensão a um total de 83.664 crianças e adolescentes órfãos e, além disso, oferecer apoio psicológico e educativo. "Muitas famílias vêm nos procurar e querem ter acesso a essa pensão, mas não possuem a certidão de óbito por Covid-19. Na primeira e segunda ondas, as pessoas morreram em casa, não tiveram condições de tirar esse certificado, o que está deixando muitas crianças de fora", explicou Anahí.

A pensão será entregue à pessoa que estiver cuidando do menor que sofreu a perda de um ou de ambos os progenitores. O governo iniciou o pagamento da pensão em abril passado. O país, de 33 milhões de habitantes, tem a maior taxa de mortalidade por Covid do mundo, com 6.122 óbitos por milhão de habitantes, segundo um balanço da AFP com base em números oficiais. O Peru soma mais de 2 milhões de casos de Covid e mais de 202.900 mortes desde o começo da pandemia.

 



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895