Peru fecha entrada para Machu Picchu por protestos contra o governo

Peru fecha entrada para Machu Picchu por protestos contra o governo

Manifestações pedem renúncia de presidente do país

AFP

publicidade

O Peru fechou neste sábado, por tempo indeterminado, o ingresso à cidadela inca de Machu Picchu, joia turística do país, alegando motivos de segurança, dada a dimensão dos protestos pela renúncia da presidente Dina Boluarte, que já deixou 46 mortos.

"Determinou-se o fechamento de rede de trilhas incas e da llaqta (cidadela) de Machu Picchu, ante a conjuntura social e para salvaguardar a integridade dos visitantes", informou o Ministério da Cultura, em um comunicado, acrescentando que a medida ficará em vigor "até novo aviso".

Durante a semana, a presidente do Peru, Dina Boluarte, afirmou em um pronunciamento nacional que o governo permanece firme após as manifestações nacionais. No discurso, ela pediu o diálogo, disse que a violência "não ficará impune" e acusou os manifestantes de não terem "agenda social". "Buscam quebrar o Estado de Direito, gerar o caos e a desordem e tomar o poder", declarou. "Ao povo peruano, aos que querem trabalhar em paz e aos que geram atos de protesto, digo: não me cansarei de chamá-los ao bom diálogo, dizendo-lhes que trabalhem pelo país", pontuou Boluarte.

Além de exigirem a renúncia de Dina Boluarte, os manifestantes também protestaram contra as mortes de peruanos durante os atos. O Ministério Público peruano investiga a presidente por genocídio devido às repressão registrada nos protestos, iniciados após a destituição e prisão do ex-presidente Pedro Castillo por tentativa de golpe de Estado, em dezembro. A presidente, no entanto, culpou os manifestantes e disse que eles instigam a polícia a agir.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895