Policiais ficam feridos em Londres em confrontos com manifestantes antivacinas

Policiais ficam feridos em Londres em confrontos com manifestantes antivacinas

Governo deve decidir se estende a imunização contra a Covid-19 a crianças entre 12 e 15 anos

AFP

publicidade

Vários policiais ficaram feridos nesta sexta-feira (3) em confrontos com manifestantes antivacinas em Londres, quando o governo deve decidir se estende a imunização contra a Covid-19 a crianças entre 12 e 15 anos. Um grupo de manifestantes antivacinas tentou entrar no prédio da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA) no bairro londrino de Canary Wharf à tarde.

A MHRA é responsável por aprovar as várias vacinas contra a covid-19 para uso em massa. A polícia metropolitana afirmou ter destacado "vários policiais" para "vigiar a entrada" do prédio. Os manifestantes foram então para South Kensington, outro bairro do oeste de Londres, informou a Scotland Yard no Twitter.

Lá, "vários manifestantes adotaram uma atitude violenta com a polícia. Quatro de nossos policiais ficaram feridos nos confrontos", tuitou a polícia, denunciando o incidente como "inaceitável".

Veja Também

Em 23 de agosto, dezenas de manifestantes contrários às restrições ao coronavírus e à campanha de vacinação entraram à força em um prédio londrino que abriga a sede do ITN, onde são produzidas notícias para os canais ITV, Channel 4 e Channel 5. O protesto aconteceu quando a campanha de vacinação acabava de ser estendida a jovens de 16 a 17 anos.

A vacinação contra a Covid-19 não é obrigatória no Reino Unido, um país de 66 milhões de habitantes que registrou mais de 133.000 mortes por coronavírus. O movimento contra as vacinas tem sido muito limitado no país e cerca de 90% dos adultos já receberam pelo menos uma dose.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895