Presidente da Colômbia afasta chefe do Exército questionado por violações de DH

Presidente da Colômbia afasta chefe do Exército questionado por violações de DH

General havia assumido posto no início deste ano

Por
AFP

Presidente conservador disse que general deixa a posição por “razões familiares”


publicidade

O presidente da Colômbia, Iván Duque, destituiu do comando do Exército, nesta sexta-feira, o general Nicacio Martínez, questionado pela oposição e por organizações internacionais por execuções extrajudiciais de civis praticadas por tropas sob seu comando. “Tivemos uma conversa profunda e, depois dessa conversa, tomamos a decisão para que o general Nicacio de Jesús Martínez deixe o comando do Exército”, disse Duque em comunicado na Casa Presidencial de Nariño. 

Cercado pela cúpula da força pública, incluindo Martínez, o presidente conservador disse que o general deixa a posição que assumiu em janeiro de 2019 a seu pedido por “razões familiares”. O general Eduardo Zapateiro será o novo chefe do Exército. O oficial liderou em 2008 a operação que resultou na morte do guerrilheiro das dissolvidas Farc, o comandante Raul Reyes, no território equatoriano, o que causou tensões diplomáticas com o então governo Rafael Correa.

Promovido a general de quatro estrelas pelo Senado em junho, Martínez é apontado por organizações internacionais como a Human Rights Watch (HRW) de comandar uma brigada investigada por assassinatos de civis e ligações com paramilitares de extrema-direita. 

Ele é alvo de uma investigação disciplinar desde maio pelo gabinete do Procurador-Geral, que monitora funcionários públicos, após a publicação de um artigo naquele mês no The New York Times, que denunciou incentivos dentro do Exército que colocariam em risco a vida de civis. “Nicacio Martínez deixa o Exército, ele nunca deveria ter alcançado essa posição, ele tem muitas respostas pendentes diante do país”, escreveu a ex-congressista da oposição Angela Maria Robledo no Twitter.