Presidente da Turquia reforma Forças Armadas após tentativa de golpe

Presidente da Turquia reforma Forças Armadas após tentativa de golpe

Decreto dispensou mais de mil militares neste domingo

AE

Presidente da Turquia reforma Forças Armadas após tentativa de golpe

publicidade

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan publicou um novo decreto presidencial neste domingo introduzindo grandes reformas nas Forças Armadas e colocando-as debaixo de maior autoridade civil. O decreto, o terceiro a ser publicado depois da declaração de estado de emergência que sucedeu uma tentativa de golpe no país, dá ao presidente e ao primeiro ministro a autoridade para emitir ordens diretas aos comandantes do Exército, da Aeronáutica e da Marinha.

O decreto determina ainda a dispensa de 1,389 mil militares, incluindo o conselheiro chefe militar de Erdogan, o qual foi preso dias depois da tentativa de golpe.

Sob a nova regra, as Forças Armadas ficam submetidas ao comando direto do Ministério da Defesa. Os hospitais militares passam a responder à pasta da Saúde. Os ministérios de Interior, Justiça e Relações Exteriores passam a ter assento no Conselho Superior Militar, órgão que toma decisões sobre nomeações e outros temas militares.

Publicado no diário oficial do país neste domingo, o documento ainda determina o fechamento de todas as escolas militares, academias e instituições de treinamento. Em substituição a essas entidades, o decreto cria uma nova universidade de defesa nacional.

Após a tentativa de golpe, Erdogan lançou uma forte repressão a todos aqueles suspeitos de terem relação com o movimento. Mais de 10 mil pessoas já foram presas, a maioria militares. Cerca de 70 mil pessoas foram detidas ou demitidas de seus empregos em setores como educação, imprensa e saúde

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895