Rússia e EUA trocam acusações sobre escalada de corrida armamentista
capa

Rússia e EUA trocam acusações sobre escalada de corrida armamentista

Explosão de caráter nuclear em solo russo e lançamento de míssil norte-americano acirrou ânimos

Por
AFP

publicidade

Rússia e Estados Unidos trocaram acusações nesta quinta-feira na ONU sobre a contribuição de ambos para uma nova carrida armamentista com seus testes de mísseis. Após o teste de lançamento de um míssil de médio alcance em 18 de agosto, "os Estados Unidos estão prontos para uma corrida armamentista", denunciou o embaixador-adjunto russo na ONU, Dmitri Polyanskiy, durante uma reunião do Conselho de Segurança convocada por Moscou.

De acordo com o representante, a Rússia está disposta a manter "um diálogo sério" para controlar os armamentos e não entende "a postura adotada pelos europeus, que toleram as ações americanas".

"Rússia e China querem um mundo em que os Estados Unidos atuem com moderação enquanto continuam a acumular armas", respondeu o embaixador norte-americano Jonathan Cohen. "Os testes americanos para desenvolver uma capacidade convencional terrestre não são nem provocadores nem desestabilizadores", e Washington não "vai ficar de braços cruzados" enquanto Pequim e Moscou seguem desenvolvendo novos armamentos, insistiu. "O que exatamente aconteceu no dia 8 de agosto?", perguntou o diplomata norte-americano, ao se referir à misteriosa explosão com caráter nuclear que ocorreu na Rússia.

Os Estados Unidos "seguem disponíveis para um controle de armamento eficaz e comprovado", que inclua a "Rússia e China", disse Cohen. O embaixador chinês na ONU, Zhang Jun, destacou que as armas de seu país são "defensivas" e não representam "uma ameaça para ninguém". "Somos contrários às corridas armamentistas e desejamos garantir un equilíbrio estratégico", destacou.