Reino Unido emite alerta após reações alérgicas à vacina da Pfizer

Reino Unido emite alerta após reações alérgicas à vacina da Pfizer

Dois funcionários do Serviço Nacional de Saúde sofreram uma reação ao imunizante

Correio do Povo

Vacinação no Reino Unido começou na terça-feira

publicidade

A Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA), do Reino Unido, advertiu nesta quarta-feira que pessoas com histórico de reações alérgicas "significativas" não devem receber a vacina Pfizer/BioNTech. O alerta foi emitido depois que dois funcionários do Serviço Nacional de Saúde (NHS) que receberam doses no primeiro dia de vacinação no país sofreram um choque anafilático. June Raine, presidente-executiva da MHRA, disse que o órgão estava examinando os casos. 

"Sabemos, pelos extensos ensaios clínicos, que isso não era uma característica", disse ao Comitê de Ciência e Tecnologia Commons nesta quarta-feira. A Pfizer afirmou que a MHRA informou sobre as reações alérgicas. Segundo a empresa, durante os testes clínicos de fase 3 em mais de 40 mil pessoas, a vacina foi "bem tolerada em geral, sem o registro de problemas de segurança graves".

June afirmou que os reguladores estavam cientes desde a noite de terça-feira que duas pessoas que haviam recebido a vacinação haviam experimentado reações alérgicas. "Se precisarmos fortalecer nossos conselhos agora que tivemos essa experiência nas populações vulneráveis ... levaremos isso para o campo imediatamente", completou.

Os dois funcionários do NHS, que têm um “forte histórico de reações alérgicas” e carregam um autoinjetador de adrenalina, se recuperaram após receber o tratamento adequado. Em um e-mail do NHS enviado aos diretores médicos na noite de terça-feira, as autoridades disseram que estavam “buscando mais informações e emitirão mais conselhos após a investigação”, conforme o The Independent. Ainda não está claro a qual elemento da vacina os dois membros da equipe eram alérgicos.

O jornal The Guardian publicou uma nota da MHRA sobre os casos: "Qualquer pessoa com histórico de reação alérgica significativa a uma vacina, medicamento ou alimento com histórico anterior de reação anafilactoide (semelhante à anafilaxia) ou aqueles que foram aconselhados a carregar um autoinjetor de adrenalina) não devem receber a vacina Pfizer/BioNtech. Instalações de reanimação devem estar disponíveis o tempo todo para todas as vacinações. A vacinação só deve ser realizada em instalações onde existam medidas de reanimação."

Veja Também

Pessoas com mais de 80 anos, médicos, enfermeiros e trabalhadores de casas de repouso estão entre os primeiros a receber a vacina no Reino Unido. O imunizante tem duas doses que devem ser tomadas num intervalo de 21 dias – a proteção ocorre pelo menos sete dias após a segunda dose. Conforme a bula, não devem ser vacinados pessoas que sofrem de doença febril aguda grave, que recebem terapias anticoagulantes ou que sofram de um distúrbio hemorrágico. Ela também não é aconselhada para os que estiverem recebendo terapia imunossupressora.

O país recebeu 800 mil doses da vacina no primeiro lote de um pedido total de 40 milhões que deve chegar progressivamente nos próximos meses. O diretor executivo da Pfizer, Albert Bourla, disse na terça-feira entender a inquietação internacional com a velocidade que as empresas farmacêuticas produzem as vacinas contra o coronavírus. Mas insistiu que todos os protocolos de segurança são respeitados.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895