capa

Relator da ONU pretende visitar Assange na prisão

Joe Cannataci já pretendia se encontrar com fundador do WikiLeaks antes de ser detido

Por
AFP

Relatora da entidade considera que Assange é submetido a "graves violações dos direitos humanos"

publicidade

O relator especial da ONU para o direito à privacidade, Joe Cannataci, que deveria se encontrar com o fundador do WikiLeaks Julian Assange em 25 de abril na embaixada do Equador em Londres, pretende visitá-lo em seu local de detenção no Reino Unido.

Cannataci disse em comunicado que não suspenderá sua viagem a Londres. "Isso significa apenas que, em vez de visitar Assange na embaixada (...), vou fazê-lo em uma delegacia ou onde no Reino Unido possa estar detido", disse ele a repórteres.

Por sua vez, a relatora especial sobre execuções extrajudiciais, sumárias ou arbitrárias da ONU, Agnes Callamard, considerou nesta quinta que o Equador expõe o fundador do WikiLeaks a "graves violações dos direitos humanos" ao retirar sua proteção diplomática.

"Expulsando Assange de sua embaixada, as autoridades equatorianas permitiram às britânicas prendê-lo, isto deixa-o a um passo de extradição para os Estados Unidos. Ao fazê-lo, o Equador expõe Assange a um risco real de graves violações dos seus direitos humanos", disse Callamard por e-mail.