Separatistas do Iêmen recuam em posições em Áden
capa

Separatistas do Iêmen recuam em posições em Áden

Grupo desocupou prédios públicos, incluindo a sede do governo

Por
AFP

Separatistas ocupavam sede da refinaria de Áden

publicidade

As forças separatistas do Conselho de Transição do Sul (CTS) se retiraram de vários prédios públicos que haviam sido tomados recentemente em Áden, no sul de Iêmen, das forças pró-governo - anunciou um membro do Executivo neste sábado. Os separatistas abandonaram a sede do governo, a do Conselho Supremo de Justiça e a do Banco Central, assim como o hospital de Áden, tuitou o ministro iemenita da Informação, Muamar al-Iryani.

O grupo havia invadido esses imóveis ao longo de vários dias de combates contra as forças pró-governo nesta localidade, onde o Executivo do Iêmen se estabeleceu de forma provisória desde que os rebeldes huthis conquistaram a capital, Sanaa, em 2014.

A retirada foi anunciada previamente pela coalizão liderada pela Arábia Saudita e que atua no Iêmen desde 2015 contra os rebeldes huthis. Segundo Iryani, está sendo preparada a retirada dos separatistas da sede do Ministério do Interior e da refinaria de Áden.

Jornalistas da AFP viram veículos militares sauditas e dos Emirados protegendo a sede do governo, a do Conselho Supremo de Justiça e o Banco Central. O CTS ainda conserva posições próximas. O palácio presidencial também está sob controle das forças sauditas.

Em seu comunicado, a coalizão militar dirigida por Riad mencionou que os separatistas estavam começando a se retirar, sob sua supervisão, das "posições ocupadas nos últimos dias" em Áden. Os combates entre as forças leais a Hadi e os separatistas duraram vários dias e deixaram pelo menos 40 mortos e 260 feridos, segundo a ONU.