Sobe para 56 número de mortos no Japão pela passagem do tufão Hagibis

Sobe para 56 número de mortos no Japão pela passagem do tufão Hagibis

Autoridades mantém buscas por sobreviventes

AFP

Vista aérea mostra inundação em depósito de trens-bala de Nagano, província de Nagano

publicidade

O tufão Hagibis deixou 56 mortos em sua passagem pelo Japão, informou nesta segunda-feira o canal estatal NHK, em um balanço atualizado, enquanto prosseguem as buscas por sobreviventes. Quinze pessoas continuam desaparecidas dois dias após a passagem do tufão, de acordo com a NHK. O balanço anterior era de 43 mortos.

O Ministério dos Transportes, Infraestrutura e Turismo declarou que diques ao longo de 21 rios foram destruídos. Na província de Nagano, noroeste de Tóquio, um dique se rompeu no Rio Chikuma, causando inundação em ampla área. Muitas pessoas ficaram presas em suas casas. Helicópteros de socorro retiraram essas pessoas pelo telhado.

Uma ponte em uma estrada de ferro caiu no rio, e as águas da tempestade prejudicaram os serviços ferroviários. Uma garagem de trens, da linha do trem-bala Hokuriku Shinkansen, foi inundada. A East Japan Railways, ou JR Leste, diz que dez trens, num total de 120 vagões, foram danificados.

A tragédia chegou também à Província de Fukushima, onde uma mulher de aproximadamente 70 anos caiu durante uma operação de socorro por helicóptero e morreu. O Departamento de Combate a Incêndios de Tóquio disse que o pessoal de socorro esqueceu de fixar dispositivo de segurança no corpo da vítima.

Esforços de socorro continuam. A extensão total dos danos ainda não é conhecida. As pessoas estão sendo aconselhadas a permanecer cautelosas contra inundações de rios e ficar em alerta para enfrentar possíveis deslizamentos de terra.

Energia elétrica

Em Tóquio e oito províncias do entorno, 55,8 mil residências ainda estavam sem energia elétrica nesta segunda-feira devido à passagem do tufão. A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco) trabalha para consertar instalações de transmissão danificadas por alagamentos. Em conjunto com o Ministério da Economia, Comércio e Indústria, a Tepco enviou geradores móveis para alguns hospitais e centros de evacuação.

A empresa espera que a eletricidade seja restaurada até quarta-feira em 90% das áreas afetadas. Ela pede que as pessoas desliguem os disjuntores, e alerta a todos para que não liguem aparelhos eletrônicos molhados.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895