Sobe para sete número de mortos em inundações na França e na Itália

Sobe para sete número de mortos em inundações na França e na Itália

Cerca de 20 pessoas seguem desaparecidas em ambos os lados da fronteira após tempestade

AFP

Cerca de 20 pessoas seguem desaparecidas em ambos os lados da fronteira após tempestade

publicidade

Três corpos foram encontrados nesta segunda-feira no Sudeste da França, anunciaram as autoridades regionais, elevando a sete o saldo das enchentes que devastaram na sexta-feira cidades da região francesa e do Noroeste da Itália. O balanço na noite de domingo era de duas mortes no lado francês e duas no lado italiano. Cerca de 20 pessoas continuam desaparecidas em ambos os lados da fronteira após a tempestade que causou torrentes que inundaram ruas e casas e isolaram várias populações.

Na noite de domingo, vários veículos italianos noticiaram a descoberta de ao menos quatro corpos nas praias mediterrâneas da Ligúria, não muito longe da costa francesa. As autoridades dos dois países ainda estão tentando determinar suas identidades. A hipótese mais forte dos pesquisadores é que algumas vítimas são pessoas desaparecidas na França, de acordo com a imprensa italiana. Era impossível na noite de domingo, porém, vincular de modo formal e direto os corpos não identificados às condições climáticas. "O que vivemos é extraordinário, estamos acostumados a ver imagens de desastres como este em outros continentes, às vezes com certo distanciamento, e agora é algo que nos afeta", disse à AFP o prefeito do departamento de Alpes-Maritimes, Bernard González.

Na pequena cidade de Saint-Martin-Vésubie, nas montanhas ao norte de Nice, agora inacessível por estrada, grupos de turistas e moradores aguardam em choque para serem evacuados de helicóptero, relatou um jornalista da AFPTV. Helicópteros da Gendarmaria, bombeiros e o exército foram resgatar as vítimas, enquanto novas chuvas são esperadas na área. Em toda a área de Nice, assim como no Norte da Itália, foram destruídas estradas, casas e estações de tratamento de esgoto.

"A situação é muito grave. É como em 1994", quando as inundações provocadas pela cheia dos rios Po e Tarano deixaram 70 mortos, afirmou o governador da região italiana de Piemonte, Alberto Cirio, ao jornal La Stampa. "A diferença é que caíram 630 mm de água em 24 horas, a maior quantidade em tão pouco tempo desde 1954", disse.

As regiões de Piemonte e Ligúria, na Itália, pediram ao governo que declarasse o estado de emergência. Na França, o protocolo da "catástrofe natural" foi implementado. O primeiro-ministro francês, Jean Castex, não escondeu sua "profunda preocupação" com o saldo final de vítimas da tempestade. No sábado, 21 pessoas declaradas desaparecidas pelas autoridades italianas foram encontradas sãs e salvas no lado francês. Segundo jornalistas da AFP, os contatos continuam difíceis até por telefone em muitos dos vales do interior de Nice.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895