capa

Trump condena "horrível massacre" em mesquitas da Nova Zelândia

Presidente dos Estados Unidos ofereceu apoio após ataque contra duas mesquitas

Por
AFP

Presidente Donald Trump manifestou pesar e apoio às vítimas de massacre na Nova Zelândia

publicidade

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou como um "horrível massacre" os em duas mesquitas da Nova Zelândia nesta sexta-feira, que deixaram pelo menos 49 mortos.

"Minhas mais sinceras condolência e meus melhores desejos ao povo da Nova Zelândia após o horrível massacre nas mesquitas mesquitas. 49 inocentes morreram de modo tão sem sentido, com muitos mais gravemente feridos. Estados Unidos apoiam a Nova Zelândia em tudo que pudermos fazer", tuitou Trump.

 

 

A porta-voz da presidência americana, Sarah Sanders, também condenou o "impiedoso ato de ódio" na cidade de Christchurch. Testemunhas do ataque descreveram cenas caóticas e corpos ensanguentados. Crianças e mulheres estão entre as vítimas fatais. A polícia fez um apelo para que as pessoas não compartilhem nas redes sociais "imagens extremamente insuportáveis", depois que foi divulgado na internet um vídeo feito por um homem branco no momento em que atirava contra os fiéis em uma mesquita.

O número exato de criminosos não foi revelado, mas, de acordo com Ardern, três homens estavam detidos. A polícia afirmou que um homem com pouco menos de 30 anos foi acusado de assassinato. Esta pessoa será apresentada a um tribunal de Christchurch no sábado. A polícia afirmou ainda que não procura outros suspeitos. As duas mesquitas atacadas são as de Masjid al Noor, no centro de Christchurch, e Linwood. As duas estavam lotadas nesta sexta-feira para a sessão vespertina das orações.