UE assinará "em breve" contratos de até 300 milhões de doses de vacina da Pfizer

UE assinará "em breve" contratos de até 300 milhões de doses de vacina da Pfizer

Presidente da Comissão comemorou resultados bem-sucedidos de imunizante das empresas

AFP

Presidente da Comissão comemorou resultados bem-sucedidos de imunizante das empresas

publicidade

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, elogiou nesta segunda-feira os resultados promissores de uma vacina das empresas Pfizer e BioNTech contra a Covid-19, e adiantou que "em breve" pode assinar contratos de "até 300 milhões de doses".

"Boas notícias da Pfizer e BioNTech sobre resultados bem-sucedidos de seus últimos ensaios clínicos para uma vacina contra a Covid", escreveu Von der Leyen no Twitter, acrescentando que a Comissão "em breve assinará com eles um contrato por até 300 milhões de doses".

Em 9 de setembro, a Comissão anunciou um acordo para reservar 200 milhões de doses da vacina desenvolvida por esses laboratórios, com uma opção de 100 milhões de doses adicionais. A declaração de Von der Leyen - que foi repetida pela Comissária de Saúde, Stella Kyriakides - sugere que a UE escolherá essa opção das doses adicionais para um total de 300 milhões. "A ciência europeia funciona!", celebrou Von der Leyen.

Nesta segunda-feira, os dois laboratórios anunciaram que nos testes realizados sua vacina mostrou uma eficácia em 90% dos casos, abrindo com isso uma esperança de conseguir controlar a pandemia de Covid-19 na primeira metade de 2021. No entanto, pouco depois desse anúncio a Agência Europeia de Medicamentos (AEM) afirmou que ainda está analisando os resultados apresentados pela Pfizer e BioNTech, embora não tenha recebido ainda os "dados clínicos".

"Através de revisões escalonadas, a AEM pode avaliar excepcionalmente as informações, à medida em que elas forem disponibilizadas, antes de sua autorização de lançamento no mercado", disse uma porta-voz da AEM. Esta fonte acrescentou que a agência avaliava "um segundo grupo" de informação relacionada à qualidade da vacina e os ingredientes usados para produzi-la.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895