Apenada tem bebê no Presídio Estadual Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre

Apenada tem bebê no Presídio Estadual Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre

Agentes penitenciários ajudaram no parto ocorrido na viatura que levaria a detenta com contrações ao hospital

Correio do Povo

Localizado no bairro Teresópolis, estabelecimento prisional abriga em torno de 250 mulheres

publicidade

Uma apenada teve o parto no Presídio Estadual Feminino Madre Pelletier, no bairro Teresópolis, em Porto Alegre. O fato ocorreu na noite da última terça-feira. Uma escolta foi organizada pelos agentes penitenciários para levar até um hospital a detenta que sentia as contrações. No entanto, a criança começou a nascer no momento em que a viatura da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) estava posicionada no portão da casa prisional. O veículo então retornou para dentro do pátio.

A agente penitenciária Michele Michels ajudou no nascimento. “Ela gritou que o bebê estava saindo”, recordou, referindo-se ao momento em que a viatura deixaria o local. Com luvas e uma toalha limpa, a servidora da Susepe puxou devagar a criança, que chorou em seguida. O bebê foi colocado junto da mãe até a chegada de uma equipe do Samu, sendo então encaminhada ao hospital. “Era uma menina e a mãe deu o nome de Vitória. Foi muita emoção. Todo mundo riu, chorou, ficou feliz…”, afirmou. “O bebê e a mãe passam bem”, frisou.

Segundo Michele Michels, o estabelecimento prisional abriga em torno de 250 mulheres. Até então não existiam presas com bebê. “Foi uma situação bem atípica”, admitiu. 

 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895