BM envia tropas, e Polícia Civil gaúcha troca informações após ataque em Criciúma

BM envia tropas, e Polícia Civil gaúcha troca informações após ataque em Criciúma

Mobilização em Santa Catarina busca capturar quadrilha que atacou Banco do Brasil

Correio do Povo

Efetivo do 1º Batalhão de Polícia de Choque da BM está na região de SC

publicidade

As forças de segurança pública de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná estão mobilizadas após o ataque com explosivos de uma quadrilha fortemente armada contra o Banco do Brasil, na modalidade Novo Cangaço, ocorrido entre a noite de segunda-feira e madrugada desta terça-feira em Criciúma (SC). A Secretaria Nacional de Segurança Pública, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal prestam apoio.

Veja Também

Pelo Rio Grande do Sul, a Brigada Militar e a Polícia Civil somaram-se às instituições de segurança pública vizinha. A BM enviou tropas do 1º Batalhão de Polícia de Choque (1º BPChq) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), além do Batalhão de Aviação, para a região. No limite entre RS e SC, a Brigada Militar está atuando com o CRPO Serra e CRPO Litoral Norte, além do Comando Rodoviário da BM. Já a Polícia Civil, através da Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), troca informações com os colegas dentro de um trabalho de inteligência.

BM gaúcha realiza abordagens após ataque / Foto: Brigada Militar / Divulgação / CP 

Em Santa Catarina, a Secretaria de Segurança Pública do Estado acompanha a movimentação. Na Polícia Militar, a mobilização envolve o 9º BPM, Batalhão de Polícia de Choque, Batalhão de Operações Policiais Especiais, Batalhão de Aviação, Canil e Polícia Militar Rodoviária Estadual. “A Polícia Militar está empenhada em uma grande operação organizada, para uma pronta resposta nas buscas desses criminosos”, manifestou-se a instituição em nota oficial. O comandante-geral da PMSC, coronel Dionei Tonet, determinou o deslocamento de todas as equipes especializadas da corporação, além do setor de inteligência.

Já a investigação da Polícia Civil está com a Delegacia de Roubos e Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), sob comando do delegado Anselmo Cruz, tendo apoio de outros órgãos da instituição como a Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais, bem como das delegacias da região de Criciúma. O Delegado Geral da Polícia Civil de SC, Paulo Koerich, está pessoalmente na área. “As ações estão sendo desenvolvidas desde a madrugada. Todas as forças estão trabalhando em conjunto para a busca de informações e identificação dos autores deste crime”, afirmou. “Não toleraremos ações delituosas”, assegurou. “Estamos somando esforços”, complementou.

Por sua vez, o Instituto Geral de Perícias de SC mandou várias equipes para Criciúma, incluindo perito criminal, perito criminal bioquímico, papiloscopistas e agentes de perícia para a execução dos trabalhos.  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895