Buscas à quadrilha de roubos a bancos abrange Dom Feliciano, Amaral Ferrador e Cristal
capa

Buscas à quadrilha de roubos a bancos abrange Dom Feliciano, Amaral Ferrador e Cristal

Brigada Militar suspeita que até cinco bandidos estão escondidos na região, sendo que dois podem estar feridos

Por
Correio do Povo

Mobilização policial concentra-se na zona rural entre os três municípios

publicidade

No 14º dia de buscas à quadrilha de assaltantes de bancos, o cerco da Brigada Militar ocupa um perímetro de cerca de 30 quilômetros na zona rural entre os municípios de Dom Feliciano, Amaral Ferrador e Cristal. Na manhã desta sexta-feira, o comandante do 30º BPM, major Marcelo Nunes Ferreira, confirmou a estimativa de que até cinco criminosos, armados de fuzis, possam estar refugiados na região.

“Dois deles podem estar feridos”, avaliou, referindo-se ao interior ensaguentado de uma caminhonete Nissan Frontier abandonada no início da fuga após o ataque com explosivos são Bradesco de Dom Feliciano, no dia 6 deste mês. Houve um primeiro confronto com os bandidos que deixaram o veículo e embrenharam-se na vegetação onde foram encontrados indícios. “Até determinado ponto havia um rastro de sangue”, lembrou o oficial.

As buscas incluem barreiras, patrulhamento intenso e incursões, bem como abordagem de veículos nas estradas.“Tem muita área abandonada, como estufas e galpões, além de matagais… A área é muito grande”, observou o major Marcelo Nunes Ferreira.

A mobilização envolve policiais militares do efetivo do 30º BPM, o 2º Batalhão de Choque de Santa Maria, os Pelotões de Choque do 6º BPM de Rio Grande e do 4º BPM Pelotas, além do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) de Porto Alegre e o apoio aéreo do Batalhão de Aviação da BM.

Já a Polícia Federal está com o Grupo de Pronta Intervenção (GPI). “As inteligências da BM e da PF se comunicam. Checamos ainda as informações vindas da comunidade. Tudo é reavaliado dia a dia. A operação não tem tempo para acabar”, garantiu. Uma base foi montada em um salão paroquial no interior de Dom Feliciano.

No final da noite da última terça-feira, em Cristal, um confronto entre policiais federais e criminosos que pretendiam resgatar os cúmplices refugiados nos matagais, foi registrado na ERS 354, na Estrada do Palanque. Um comboio de veículos dos bandidos circulava nas estradas vicinais. Duas barreiras da Polícia Federal foram furadas por um Honda Civic e um Chevrolet Celta, ocorrendo então um confronto.

Duas mulheres morreram no episódio. O responsável pelo plano de resgate e uma criança ficaram feridas. O criminoso foi encontrado morto em sua cela na Polícia Federal de Porto Alegre na noite de quinta-feira. Conforme nota oficial da PF, ele utilizou as ataduras do seu curativo para cometer o suicídio. Já a criança, um menino de quatro anos, foi internada em estado grave na UTI Pediátrica do Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre.

O Ministério Público Federal (MPF), por meio do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial da Procuradoria da República no Rio Grande do Sul, instaurou procedimento investigatório criminal para apurar as circunstâncias das mortes e lesões decorrentes da ação da PF em Cristal. Esclarecimentos com detalhes do fato e da operação foram solicitados.