Casal envolvido com golpe do bilhete premiado é preso pela PRF em São Leopoldo

Casal envolvido com golpe do bilhete premiado é preso pela PRF em São Leopoldo

Golpistas, junto com cúmplices, agiram durante toda a quarta-feira em Porto Alegre

Correio do Povo

Ford Fiesta foi interceptado pela PRF que monitorava rodovias na Região Metropolitana após alerta

A Polícia Civil aguarda o aparecimento de novas vítimas de uma quadrilha que vinha aplicando o conto do bilhete premiado nas vítimas em Porto Alegre. Na noite de quarta-feira, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu dois integrantes do grupo de golpistas na BR 116, em São Leopoldo. O condutor, de 35 anos, e a passageira, de, estavam em um Ford Fiesta que foi interceptado pelo efetivo da PRF. 

Oriunda de Passo Fundo, a dupla possui antecedentes criminais com inúmeras ocorrências de estelionato, agindo juntos em muitas delas. O registro da ocorrência foi realizado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de São Leopoldo. 

Um dos golpes havia sido cometido no início da tarde, na esquina das ruas Livramento e Vicente da Fontoura, no bairro Santana, na Zona Leste da Capital. Uma idosa foi ludibriada pelos criminosos que estavam no Ford Fiesta e também em um veículo de cor preta não identificado. A senhora embarcou inclusive no Fiesta provavelmente para buscar o dinheiro e entregá-lo. 

Um jornalista passeava com seu cão e notou o que estava ocorrendo, fotografando como telefone celular inclusive o Fiesta. Os criminosos perceberam que estavam sendo vistos. Eles discutiram e ameaçaram o jornalista que imediatamente acionou a Brigada Militar e a Polícia Civil. Outro caso parecido teria sido registrado no Centro de Porto Alegre. A Polícia Civil emitiu então um alerta à Polícia Rodoviária Federal. O efetivo da PRF monitorou todas as rodovias sob jurisdição na Região Metropolitana, o que resultou na abordagem do casal de estelionatários.

Golpe do bilhete

Passando por uma pessoa simplória, um golpista aborda a vítima e mostra um bilhete de loteria que alega ser premiado. Ele oferece o bilhete por um valor bem menor do que o suposto prêmio. O outro golpista, bem vestido, chega e se diz interessado no bilhete, o que ajuda o convencimento da vítima a pagar. Em muitos casos, os criminosos simulam inclusive ligações para a Caixa como “confirmação” da premiação. O bilhete premiado obviamente é falso.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895