Central de armas e drogas de facção criminosa é descoberta em Eldorado Sul
capa

Central de armas e drogas de facção criminosa é descoberta em Eldorado Sul

Drones também foram apreendidos na operação da Polícia Civil com apoio da Brigada Militar

Por
Correio do Povo

Fuzil com dois carregadores, mira telescópica e mira laser, com farta munição, foram avaliados em R$ 45 mil

publicidade

A Polícia Civil “estourou” ao amanhecer desta quarta-feira uma central de armazenamento de armas e drogas de uma facção criminosa que ficava em Eldorado do Sul. O armamento e munição, encontrados em uma residência usada como depósito no bairro Medianeira, foram avaliados em cerca de R$ 45 mil. A ação foi deflagrada pela DP de Eldorado do Sul e 3ª DP de Canoas, sob coordenação do delegado Rodrigo Caldas, tendo apoio do 31º BPM da Brigada Militar. Uma criminosa foi presa em flagrante no local.

Houve a apreensão de um fuzil calibre 556, equipado com dois carregadores, mira telescópica de grande alcance e mira laser, junto com 45 cartuchos de munição. No local foram recolhidos ainda cerca de dois quilos de crack suficientes para a produção de até 10 mil pedras; em torno de 1,8 quilo de cocaína que renderia até 5 mil porções; e 600 gramas de maconha; além de 32 telefones celulares com grande quantidade de acessórios e carregadores; um notebook e uma balança de precisão.

Os policiais encontraram também dois drones, cada um avaliado em cerca de R$ 46 mil. O diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mario Souza, revelou que os dois aparelhos serviriam para “monitorar atividades de facções rivais, da polícia e inclusive de presídios”. Ele acrescentou que os telefones celulares provavelmente seriam destinados a detentos no sistema prisional. “Conforme as investigações, um líder de uma facção criminosa teria ordenado que armazenassem os materiais ilícitos sob responsabilidade da mulher presa em flagrante, pois seria um local de acima de qualquer passar suspeita", observou.

O trabalho investigativo foi realizado em conjunto pela Polícia Civil e Brigada Militar nos últimos três meses. A operação, segundo o delegado Mário Souza, foi desencadeada com o “conhecimento de que havia sido realizado o transporte e descarregamento de armas e drogas no local”. Já o delegado Rodrigo Caldas declarou que “as investigações continuam” e que “essa ação policial representa um considerável prejuízo para a facção criminosa”.