Cinco são indiciados por falsificação para retirada de carros do Detran
capa

Cinco são indiciados por falsificação para retirada de carros do Detran

Segundo a investigação da Polícia, estelionatários usavam rubricas falsificadas de delegados para confiscar veículos de depósitos credenciados pelo departamento de trânsito

Por
Correio do Povo

Dois caminhões estão entre as apreensões feitas pela Polícia Civil durante deflagração de operação em 10 de dezembro

publicidade

O inquérito que investigava fraudes na retirada de veículos de depósitos do Detran gaúcho foi remetido à Justiça pela Polícia Civil com indiciamento de cinco envolvidos no esquema. Além disso, uma sexta pessoa permanece sendo investigada pela equipe da Delegacia de Repressão ao Crime de Lavagem de Dinheiro (DRLD) do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

Segundo o delegado Adriano Nonnenmacher, o expediente policial abarcou duas etapas, totalizando três prisões temporárias e 14 ordens judiciais ao todo. O trabalho investigativo começou em 30 de abril do ano passado e, conforme o policial, comprovou a falsificação de assinaturas de dois delegados da Polícia Civil para possibilitar a elaboração de documentos, como se fossem oficiais, visando a liberação de veículos em depósitos credenciados.

Quatro dos indiciados já possuem antecedentes criminais, como estelionato, associação criminosa, tráfico de entorpecentes, crimes patrimoniais e ameaças, entre outros. De acordo com Nonnenmacher, o Detran já alterou a forma de retirada de veículos apreendidos após a descoberta do golpe. “Foi uma investigação que demandou muito tempo de trabalho, diante da especialização dos alvos”, avaliou. 

Para o diretor geral do Denarc, delegado Vladimir Urach, a ação foi importante pois “elucidou e estancou atuação audaciosa de quadrilha perante depósitos do Detran-RS, e que trouxe enormes prejuízos a processos e investigações criminais em andamento”. 

Operação foi desencadeada em cidades gaúchas e no Paraná

A operação Impostore foi desencadeada em Porto Alegre, Gravataí, Cachoeirinha e Alvorada, além de Londrina, no Paraná no começo de dezembro. Houve o cumprimento de oito ordens judiciais e apreensão de documentos, carimbos, rastreadores e cinco veículos, sendo três caminhões e dois automóveis de luxo.

Entre os presos estava o líder da quadrilha, um estelionatário de 55 anos, com extensa ficha criminal e especializado em fraudes. Durante as investigações, os policiais civis apuraram que os criminosos sabiam quais os veículos não eram furtados ou roubados antes de serem retirados dos depósitos credenciado. A base da quadrilha ficava em Viamão.