Com apenas três anos, cão pastor belga morre em canil da BM em Caxias do Sul

Com apenas três anos, cão pastor belga morre em canil da BM em Caxias do Sul

Boris representava o 12º BPM e era especialista em detecção de entorpecente

Correio do Povo

Cão era especialista na detecção de entorpecentes e participou de várias operações policiais

publicidade

O setor de cinofilia da Brigada Militar está mais triste com a morte prematura do cão pastor belga-malinois Boris, que integrava o Canil do 12° BPM, em Caxias do Sul, na Serra. Ele era especialista na detecção de entorpecentes e participou de várias operações policiais.

Boris teve uma parada cardiorrespiratória no final da tarde dessa quarta-feira, após espontaneamente ir até o alojamento e deitar na cama, onde acabou morrendo ao lado de sua fiel tutora, a soldado Ana Kaufmann, que o treinou desde os três meses de vida. “Ele era muito amado, muito querido, onde ele ia fazia muitos amigos, muitas pessoas vieram até o quartel para visitar ele'', desabafou a policial militar, sem conter a emoção.

No mês de maio deste ano, Boris foi diagnosticado com hipertrofia concêntrica e excêntrica do ventrículo esquerdo, doença possivelmente congênita e popularmente conhecida como coração de atleta. O enrijecimento do ventrículo dificultava o fluxo sanguíneo para o restante do corpo, o que vinha comprometendo outros órgãos.

O acompanhamento veterinário começou ainda no início deste ano, quando foi observado uma alteração na pupila dele, dando início a uma série de exames. Afastado das funções policiais desde o descobrimento da doença, Boris foi assistido pela equipe do Canil do 12º BPM até o último momento.

O cão pastor belga-malinois acabou inclusive sendo levado para o alojamento dos próprios policiais militares, onde se apropriou da cama da tutora soldado Ana Kaufmann. Deitado no final da tarde dessa quinta-feira na cama, Boris chegou a ser reanimado pela veterinária Marcelly Felippi, que o acompanhou voluntariamente desde o início da doença, mas ele não resistiu e faleceu.

O cão policial Boris foi levado para o Zôobraz Brazcão, onde será cremado. Conforme a Brigada Militar, o destino das cinzas ainda será definido.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895