Denarc fecha laboratório de drogas de alto padrão na zona Sul de Porto Alegre

Denarc fecha laboratório de drogas de alto padrão na zona Sul de Porto Alegre

Houve apreensão de cocaína, maconha, ecstasy, LSD, ketamina, extrato de maconha, essência de THC, skunk e metanfetamina

Correio do Povo

Há indícios da participação de uma facção catarinense junto com uma organização criminosa gaúcha

publicidade

O Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) da Polícia Civil fechou um laboratório de drogas de alto padrão na zona Sul de Porto Alegre. O centro de preparação de entorpecentes ficava em um imóvel no bairro Hípica. Coordenada pelo delegado Gabriel Borges, a ação começou ainda na tarde dessa quinta-feira, após uma investigação iniciada há dois meses. Há indícios da participação de uma facção catarinense, envolvida com drogas sintéticas, junto com uma organização criminosa gaúcha.

Houve a apreensão de 1,3 quilo de cocaína, 1,5 quilo de maconha, 118 comprimidos de ecstasy, 25 pontos de LSD, nove porções de extrato de maconha, dez frascos de ketamina, seis frascos de essência de THC, 175 gramas de skunk e 44 porções de metanfetamina.  

Os agentes recolheram ainda R$ 5 mil em dinheiro, centenas de adesivos personalizados indicando marca própria, um frasco de plástico dosador, um saco com protetores de bacia para manicure, 16 frascos de gás butano, um extractor, um esterilizador, 12 painéis led, 17 potes plásticos, 30 frascos brancos, duas formas de silicone e um autoclave.

Uma pistola calibre nove milímetros com dois carregadores e 25 munições, além de três telefones celulares, também foram encontrados no local.

“Chamou a atenção o alto nível de organização e sofisticação do grupo criminoso na produção de drogas, com frascos de gás importados a mais de R$ 500,00 cada um para extração a vácuo de THC, painéis de led para aumento da capacidade de produção de drogas (a mais de R$ 2 mil cada unidade) e uma autoclave para retirada de micro-organismos dos entorpecentes com vapor sob pressão”, observou o delegado Gabriel Borges. "Eram drogas de alta qualidade. Um refino de muita qualidade", enfatizou.

O trabalho investigativo é decorrente de uma prisão em flagrante por tráfico de drogas sintéticas na modalidade tele entrega. Os agentes do Denarc identificaram então o responsável pela distribuição e produção dessas drogas com alto padrão de pureza. O suspeito foi monitorado. Uma série de entregadores subordinados a ele eram os responsáveis pela distribuição dos entorpecentes.

Na ação, o suspeito foi abordado em um veículo com 50 porções de cocaína e vários comprimidos de ecstasy. Já no imóvel foi descoberta o laboratório. Um segundo carro foi apreendido. “A investigação prossegue para identificar e responsabilizar os membros da organização criminosa”, adiantou o delegado Gabriel Borges.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895