Dr. Jairinho é afastado do Conselho de Ética da Câmara de Vereadores

Dr. Jairinho é afastado do Conselho de Ética da Câmara de Vereadores

Parlamentar foi preso provisoriamente e é apontado como responsável pela morte do enteado Henry Borel, de 4 anos

R7

Vereador foi preso provisoriamente nesta quinta-feira

publicidade

O Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores decidiu pelo afastamento de Dr. Jairinho, preso provisoriamente nesta quinta-feira. O parlamentar é apontado pela polícia como responsável pela morte do enteado Henry Borel, de 4 anos. A decisão foi comunicada pelo presidente do conselho, o vereador Alexandre Isquierdo (DEM). Segundo ele, é provável que seja aberta uma representação contra Dr. Jairinho, por quebra de decoro, a depender do processo contra o parlamentar. 

Na tarde desta quinta-feira, o presidente da Câmara, Carlo Caiado (DEM), suspendeu a sessão ordinária da casa para adiantar a reunião do Conselho de Ética, após diversos vereadores se manifestarem em defesa de que o dia fosse reservado à discussão da situação de Jairinho.

Cremerj

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) também se manifestou sobre o Dr. Jairinho, que é médico. Em nota, o conselho afirma que abriu sindicância para apurar os fatos e que a cassação do registro profissional é uma das possíveis punições aplicáveis. Mais cedo, a Câmara suspendeu o salário do parlamentar investigado e decidiu que ele será formalmente afastado do cargo a partir do trigésimo primeiro dia de prisão.

Ele também foi afastado do partido Solidariedade. Em nota, a legenda informou que aguarda a apuração do caso e as decisões da Justiça. Reforçou, ainda, que repudia "todo e qualquer tipo de maus tratos e violência, principalmente contra crianças e adolescentes".

O vereador teve a prisão temporária decretada nesta manhã. Ele é investigado pela morte do enteado Henry Borel, de 4 anos, assim como sua companheira Monique Medeiros, mãe do menino. O casal foi preso por combinar versões e intimidar testemunhas, o que atrapalharia as investigações. 

Prisão

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), Jairinho foi encaminhado para o presídio Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo de Gericinó, e Monique para o Instituto Penal Ismael Sirieiro, em Niterói. Devido à pandemia de Covid-19, ambos cumprirão isolamento social inicial de 14 dias, como acontece com todos que ingressam no sistema prisional.

Segundo o delegado Henrique Damasceno, responsável pela investigação, a dupla será indiciada por homicídio duplamente qualificado, com emprego de tortura e sem chances de defesa da vítima.Nesta quinta, a polícia revelou conversas entre Monique e a babá de Henry que apontam que o menino era vítima de uma “rotina de violência” por parte do vereador. 

Veja Também

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895