Facção responsável por expulsar moradores de condomínio é alvo de ação em Alvorada

Facção responsável por expulsar moradores de condomínio é alvo de ação em Alvorada

Megaoperação cumpriu quase 280 ordens judiciais na cidade da região Metropolitana

Correio do Povo

Houve o cumprimento de 279 ordens judiciais durante a ação

publicidade

A Polícia Civil desencadeou a megaoperação Consórcio ao amanhecer desta quarta-feira para combater um braço da facção que atua com o tráfico de drogas e execuções em Alvorada. A organização criminosa é responsável ainda por ocupar e expulsar moradores de um condomínio popular no bairro Umbu. Cerca de 850 agentes cumpriram 279 ordens judiciais, sendo 182 mandados de busca e apreensão, 67 mandados de prisão e 30 medidas restritivas de contas bancárias. Houve apoio aéreo com helicóptero da corporação.

A ação foi coordenada pela Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Alvorada, sob comando do delegado Edimar Machado. Houve a apreensão de armas, munições, drogas, radiocomunicadores, dinheiro e telefones celulares, entre outros. A ação resultou em 15 criminosos presos, mas outros 39 foram detidos após o começo das investigações que duraram 18 meses.

A equipe da DPHPP de Alvorada relatou que o braço da facção é coordenado por um detento recolhido no sistema prisional. Da cela, o apenado continuava exercendo o posto de liderança mais relevante do grupo. Os agentes conseguiram identificar a participação de outros 99 integrantes da célula criminosa. Um total de 125 linhas telefônicas foram interceptadas, enquanto que 1,2 mil de 1,8 milhão de ligações foram transcritas.

Munições apreendidas na operação / Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP  

No período do trabalho investigativo, nove homicídios foram comprovados como de autoria de membros do grupo, todos eles sempre com a determinação ou anuência por parte do líder dentro da Penitenciária Modulada de Charqueadas. Uma das execuções foi de uma moradora que contraiu dívidas de entorpecentes e foi assassinada, tendo o corpo queimado ao lado do complexo habitacional. O apartamento dela foi invadido e vendido como forma de pagamento de dívida. Para os policiais civis, a brutalidade do crime serviu também como intimidação para quem afrontasse o poder dos criminosos.

Um dos objetivos da operação Consórcio é também restituir às famílias expulsas os imóveis tomados pelos traficantes. Os agentes da DHPP de Alvorada constataram que os moradores foram desalojados de seus imóveis mediante violência e grave ameaça. Estes imóveis foram comercializados de maneira irregular e até mesmo alugados para terceiros. Integrantes do grupo igualmente foram morar neles. Os policiais civis contabilizaram em torno de 50 registros de apartamentos invadidos.

A DPHPP de Alvorada orientou que as famílias expulsas de seus apartamentos no complexo habitacional Umbu 2 devem procurar o órgão para formalizar a queixa-crime e dar seguimento aos devidos procedimentos da Polícia Civil ao caso.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895