Foragido do Instituto Penal de Novo Hamburgo é capturado em Santa Catarina

Foragido do Instituto Penal de Novo Hamburgo é capturado em Santa Catarina

Criminoso tem envolvimento com arrombamentos a bancos, sobretudo caixas eletrônicos, em todo o país

Correio dio Povo

Agentes da Divisão de Investigação Criminal de Joinville apreenderam ferramentas

publicidade

A Polícia Civil de Santa Catarina anunciou na manhã desta segunda-feira a captura de um foragido do Instituto Penal de Novo Hamburgo, na região do Vale do Rio dos Sinos.  A fuga do estabelecimento prisional ocorreu no ano passado. O criminoso, um catarinense de 47 anos, vulgo Galego, é apontado como líder de uma organização criminosa que atuava no furto e arrombamento de bancos em todo o país.

A quadrilha atuava principalmente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. No RS, por exemplo, Galego agiu em 2018 com cinco ataques cometidos em Porto Alegre, Taquara e Esteio. Além dos crimes patrimoniais, ele é envolvido em lavagem de dinheiro.

O foragido foi preso no domingo passado pelos agentes da Divisão de Investigação Criminal de Joinville. Ele foi localizado em um apartamento próximo à praia na cidade de Barra Velha, no Litoral Sul de Santa Catarina. O fugitivo levava uma vida de luxo e ostentação, passeando até de lancha e moto aquática.

 “A gente pensou que ele deveria estar gastando esse dinheiro em algum lugar e, então, tentamos rastrear onde foi parar o dinheiro”, explica o delegado Murilo Batalha. “É um dos maiores caixeiros do Brasil. Nos últimos quatro anos, as investigações demonstraram que ele causou um prejuízo a uma única instituição financeira na ordem entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões”, acrescentou.

Houve a apreensão de ferramentas, como furadeiras, usadas nos arrombamentos sobretudo de caixas eletrônicos de agências bancárias, além de dois veículos das marcas Hyundai e Fiat. Dois telefones celulares foram também recolhidos pelos agentes.

Conforme os policiais civis catarinenses, o indivíduo possui outros dois mandados judiciais de prisão em aberto, expedidos pelo Poder Judiciário dos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Após interrogatório, ele foi encaminhado ao Presídio Regional de Joinville.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895