MPT investiga empresa prestadora de serviços para o Lollapalooza por "trabalho degradante"

MPT investiga empresa prestadora de serviços para o Lollapalooza por "trabalho degradante"

Funcionários foram resgatados por equipe de fiscalização nesta quarta-feira e tiveram suas situações regularizadas

R7

Novidades sobre o Lollapalooza Brasil 2023 serão divulgadas ainda este ano

publicidade

O MPT (Ministério Público do Trabalho) irá investigar um caso de "trabalho degradante" de uma empresa que prestava serviços para o festival Lollapalooza. O procedimento foi aberto na última quarta-feira.

O festival de música Lollapalooza acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de março no Autódromo de Interlagos, na zona sul da capital paulista. Em nota, o MPT informou que os trabalhadores da empresa foram resgatados por uma equipe de fiscalização do trabalho na noite desta quarta-feira e tiveram suas situações regularizadas. Além disso, a primeira audiência com as partes envolvidas aconteceu nesta quinta-feira e haverá um segundo julgamento nesta sexta-feira.

Solicitamos uma nota para a T4F, responsável pela organização do Lollapalooza, questionando qual empresa foi responsável pela situação de trabalho dos colaboradores.

Leia a nota na íntegra:

"O Ministério Público do Trabalho em São Paulo informa que na noite de ontem, 22/3, abriu procedimento para investigar caso de trabalho degradante na preparação do Festival Lollapalooza.

Na tarde de hoje houve a primeira audiência com as partes envolvidas e amanhã haverá outra. O procurador oficiante espera formar convencimento a partir das provas e dos depoimentos para decidir o caminho da atuação.

O MPT ressalta que os trabalhadores resgatados pela fiscalização do Trabalho na noite de ontem já tiveram suas situações regularizadas e receberam as verbas rescisórias e horas extras em atuação da Superintendência Regional do Trabalho no Estado de São Paulo, órgão ligado ao Ministério do Trabalho e Emprego".


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895