Operação contra maus-tratos em crianças e violência a mulheres é realizada pela Polícia Civil

Operação contra maus-tratos em crianças e violência a mulheres é realizada pela Polícia Civil

Oito ordens judiciais foram cumpridas em Nova Santa Rita, Canoas, Esteio e Passo Fundo

Correio do Povo

Além de três prisões, os agentes apreenderam quatro armas longas e munição em um dos alvos

publicidade

A Polícia Civil deflagrou a operação Santa na manhã desta sexta-feira com o objetivo de combater os maus-tratos em crianças e a violência contra mulheres. Na ação, coordenada pela DP de Nova Santa Rita, foram cumpridas oito ordens judiciais após três meses de investigação. Os mandados foram executados em Nova Santa Rita, Canoas, Esteio e Passo Fundo, onde foram constatados os crimes de tentativa de feminicídio, lesão corporal, ameaça, vias de fato e descumprimento de medida protetiva. A apuração dos casos ocorreu  no âmbito da Lei Maria da Penha. Três prisões foram realizadas. Houve ainda a apreensão de quatro armas longas e munição em um dos alvos.

O diretor da 2ª Delegacia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mário Souza, destacou que um casos investigados é de uma tentativa de assassinato de uma moradora de Nova Santa Rita. A vítima, de 57 anos, foi esfaqueada e ferida após ter discutido com o companheiro em virtude dele estar usando cocaína. O homem ficou violento e quebrou objetos da casa antes de desferir uma faca no abdômen dela. A mulher foi socorrida por vizinhos e encaminhada ao Hospital de Pronto Socorro de Canoas. O agressor fugiu veículo da vítima, mas ameaçou que voltaria para “terminar o serviço”.

Para o diretor da 2ª DPRM, o enfrentamento aos crimes contra mulheres e crianças é prioridade. “As agressões serão apuradas e os autores serão responsabilizados”, assegurou. A operação Santa mobilizou 45 policiais civis em 14 viaturas, além de contar com apoio aéreo, no cumprimento das ordens judiciais. 

Flagrante 

Já a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Canoas, coordenada pela delegada Clarissa Demartini, prendeu em flagrante um indivíduo de 21 anos de idade por violência doméstica na cidade. Por ciúmes, o agressor ofendeu e atacou a companheira, de 18 anos, quando ela dormia na cama na residência do casal. A vítima, que ficou com graves ferimentos no rosto e nos olhos devido aos socos, tapas e puxões desferidos por ele, pediu então ajuda à Polícia Civil. Na denúncia, ela relatou também que o parceiro empurrou-a contra a parede e ameaçou-a de morte. Os agentes foram então até a casa do agressor que acabou preso em flagrante. A ação fez parte da operação permanente Marias que visa coibir atos de violência doméstica e familiar, além de efetuar as prisões e amparar as vítimas de forma imediata e constante.

A delegada Clarissa Demartini enfatizou a atuação rápida em casos de violência doméstica e familiar. “Em questão de poucas horas, vítima atendida e agressor preso. Assim deve se embasar um atendimento especializado de vítimas de violência doméstica”, disse. “As mulheres procuram a delegacia emocionalmente abaladas e a atitude de se encorajar e nos procurar exige uma troca de confiança e a importância dela entender o quanto agiu corretamente e que aquela situação não condiz com a realidade a qual ela deve se submeter”, acrescentou.

Para o delegado Mario Souza, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Canoas atua da forma “mais célere possível visando coibir ainda casos de reincidência a partir do momento que o agressor se dá conta que desde o primeiro ato já recebe a sua devida punição conforme a lei”.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895