Operação da PF contra tráfico internacional de munições é deflagrada em Novo Hamburgo

Operação da PF contra tráfico internacional de munições é deflagrada em Novo Hamburgo

Investigação começou com apreensões de munição em setembro de 2016, em São Paulo, e janeiro de 2017, no Rio de Janeiro

Correio do Povo

Agentes cumpriram três mandados de prisão preventiva e de outros dois mandados de busca e apreensão

publicidade

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira a operação Parabellum com o objetivo de combater o tráfico internacional de munições. Houve o cumprimento de cinco ordens judiciais, sendo três mandados de prisão preventiva e de outros dois mandados de busca e apreensão no bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo.

 A investigação começou a partir de duas grandes apreensões efetuadas pela Polícia Rodoviária Federal em veículos com placas do Rio Grande do Sul. Em 16 de setembro de 2016, a PRF recolheu 6,6 mil munições de uso restrito das forças armadas, sendo 4,8 mil de calibre 9 milímetros, 1,8 mil de calibre 40 e ainda 78 de fuzil 762, na BR 116 (Rodovia Presidente Dutra), em Lavrinhas, em São Paulo. O motorista foi detido.

Já em 22 de janeiro de 2017, o efetivo da PRF flagrou o transporte de 15,8 mil munições na BR-101 (Rodovia Rio-Santos), em Paraty, no Rio de Janeiro. Houve o recolhimento de 9,8 mil unidades de calibre 40, outras 4,8 mil de calibre 9 milímetros e 1,2 mil de fuzil calibre 7,62. Um casal, oriundo de Novo Hamburgo, foi preso na ocasião. Ambas ações resultaram na ocasião no recolhimento de mais de 22 mil projéteis de calibre restrito.

Com o cruzamento de informações, a Polícia Federal identificou a vinculação de um casal residente em Novo Hamburgo. O homem e a mulher seriam responsáveis pela munição adquirida no Paraguai.

Em 22 de janeiro de 2018, um carregamento de 16 quilos de cocaína, atribuído aos investigados, foi apreendido na BR 471, no Chuí. O veículo que transportava a droga retornou ao avistar uma barreira policial e foi abandonado na rodovia. Os policiais federais identificaram que o condutor era o mesmo indivíduo preso no caso do flagrante do Rio de Janeiro.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895