Polícia Civil apreende armamento e munição no bairro Agronomia, em Porto Alegre

Polícia Civil apreende armamento e munição no bairro Agronomia, em Porto Alegre

Ação cirúrgica realizada da 1ª DPHPP atingiu uma facção criminosa atuante na Capital

Correio do Povo

Houve recolhimento de um fuzil, duas pistolas, seis carregadores, um kit roni e três seletores de rajada, além de 468 munições

publicidade

A Polícia Civil apreendeu armamento e munição em poder de uma facção criminosa que atua em Porto Alegre. No bairro Agronomia, a equipe da 1ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (1ª DPHPP), sob comando da delegada Isadora Galian, cumpriu um mandado de busca e apreensão nessa terça-feira na residência de um suspeito de homicídio doloso consumado.

O indivíduo foi preso em flagrante. "Ele tem relação com a facção da vila Cruzeiro do Sul", confirmou o diretor da Divisão de Homicídios, delegado Eibert Moreira Neto, do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira à reportagem do Correio do Povo.

Houve o recolhimento de um fuzil calibre 556, uma pistola calibre 380, uma pistola calibre nove milímetros, seis carregadores, um kit roni que transforma uma pistola em uma submetralhadora e três seletores de rajada. Na casa, os policiais civis encontraram também 468 munições de calibres variados, além de um telefone celular.

“As ações de inteligência da 1ª DHPP objetivam, através de ações cirúrgicas, desarticular as organizações criminosas responsáveis por inúmeros atentados na cidade de Porto Alegre, reduzindo o número de homicídios”, frisou a delegada Isadora Galian.

Segundo ela, os inquéritos policiais seguem em andamento com o objetivo de identificar todos os responsáveis pelos homicídios que estão sendo investigados pela 1ª DPHPP. Denúncias, mesmo sob anonimato, podem ser repassadas ao telefone 0800-642-0121.

A delegada Isadora Galian enfatizou que o Departamento de Homicídios trabalha “com afinco na coleta de provas a fim de subsidiar pedidos de prisões preventivas dos indivíduos que vêm fomentando essa disputa entre facções na Capital do Estado”.  


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895