Polícia Civil de Santa Catarina prende traficante gaúcho com R$ 1 milhão em cristais de MDMA

Polícia Civil de Santa Catarina prende traficante gaúcho com R$ 1 milhão em cristais de MDMA

Oriundo de Pelotas. criminoso recebeu veículo, recheado com cinco quilos da droga sintética, na BR 101, em Biguaçu

Correio do Povo

Alucinógeno, cuja grama custa R$ 200,00, é mais potente do que o ecstasy

publicidade

Um traficante gaúcho foi preso com cerca de cinco quilos de cristais de MDMA, avaliados em torno de R$ 1 milhão, durante uma operação deflagrada pela Polícia Civil de Santa Catarina. A ação ocorreu em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Civil do Pará na quinta-feira na BR 101, em Biguaçu.

Em entrevista ao Correio do Povo na manhã desta sexta-feira, o delegado Ronaldo Neckel Moretto, da Delegacia de Combate às Drogas e coordenador do Núcleo de Operações com Cães, revelou que o criminoso é da cidade de Pelotas. Segundo ele, as investigações já duram mais de três meses e terão prosseguimento para desvendar todo o esquema.

O MDMA, que tem como princípio ativo a metilenodioximetanfetamina, é um alucinógeno mais potente do que o ecstasy, sendo usado pelos jovens de alto poder aquisitivo sobretudo em baladas e raves. O delegado Ronaldo Neckel Moretto observou que cada grama custa em torno de R$ 200,00. É conhecido como pílula do prazer e provoca fortes alucinações no usuário.

Durante o trabalho investigativo, os policiais civis catarinenses identificaram uma rota de transporte da droga sintética oriunda do Estado do Pará e distribuída em Santa Catarina. O entorpecente foi encontrado em um fundo falso de um Nissan Livina, com placas de Florianópolis, que era transportado por uma carreta cegonheira. A descoberta ocorreu graças aos cães farejadores que identificaram o compartimento secreto.

A prisão do traficante gaúcho ocorreu quando recebia o veículo trazido pela carreta cegonheira em um pátio às margens da rodovia. Ele foi conduzido até a Delegacia de Combate às Drogas em Florianópolis. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895