Polícia Civil indicia integrante de facção criminosa por ataque a residência de agente

Polícia Civil indicia integrante de facção criminosa por ataque a residência de agente

Investigação foi realizada pela Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE)

Correio do Povo

Imagens de câmera de monitoramento registraram o Volkswagen Golf no ataque

publicidade

A Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) da Polícia Civil indiciou um integrante de uma facção pelos crimes de ameaça, coação no curso do processo e de integrar organização criminosa. Segundo o diretor do Grupamento de Operações Especiais da CORE, delegado Marco Antônio Duarte de Souza, a investigação foi decorrente de ameaças feitas contra agentes do Vale do Paranhana em represália às prisões e perdas financeiras do grupo envolvido com tráfico de drogas.

“A consumação da ameaça se deu na ocasião em que indivíduos atentaram contra a residência de um dos policiais utilizando fogos de artifício”, observou o delegado Marco Antônio Duarte de Souza. De acordo com ele, o planejamento de que membros da facção estavam se organizando para cometer um atentado mais violento contra os policiais civis também foi descoberto.

O investigado foi reconhecido como o motorista do Volkswagen Golf que utilizou rojões contra a moradia de um dos agentes. Imagens de uma câmera de monitoramento registraram o ataque. O indivíduo possui diversos antecedentes e estava em liberdade concedida judicialmente quando arremessou os fogos de artifícios.

De acordo com o delegado Marco Antônio Duarte de Souza, as informações apuradas indicaram então que uma das lideranças da facção, recolhido no sistema carcerário e atualmente em uma penitenciária federal, foi o responsável por ordenar os ataques. O descontentamento do grupo começou após prisões decorrentes do homicídio de uma mulher em agosto de 2019.

“Após este homicídio, deu-se início a uma série de prisões que desestabilizaram a facção, sendo uma delas do mandante do homicídio em setembro de 2019. Em outubro foi preso o executor do homicídio bem como uma liderança da facção. Em novembro de 2019, na Serra, policiais civis entraram em confronto com membros da quadrilha, matando um criminoso e prendendo outros dois”, recordou.  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895