Polícia Civil investiga caso da mulher morta por um paralelepípedo na BR 290, em Porto Alegre

Polícia Civil investiga caso da mulher morta por um paralelepípedo na BR 290, em Porto Alegre

Já a Polícia Rodoviária Federal intensificou o patrulhamento e a CCR ViaSul vai instalar câmeras de monitoramento

Correio do Povo

Mulher morreu após ser atingida por um paralelepípedo arremessado contra o para-brisa do veículo

publicidade

A Polícia Civil abriu inquérito para apurar o caso da mulher que morreu após ser atingida por um paralelepípedo arremessado contra o para-brisa do veículo em que estava na noite de sábado passado na BR 290, junto da ponte do Guaíba, no sentido Interior-Capital, em Porto Alegre.

“Ainda não sabemos se foi uma tentativa de assalto. Não se sabe a motivação ainda”, observou na manhã desta segunda-feira a diretora do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), delegada Vanessa Pitrez, à reportagem do Correio do Povo.

“Não temos ainda muitas informações. Não tinha câmeras no local. Estamos procurando imagens próximas. Ainda não temos informação sobre o autor deste fato”, enfatizou a diretora do DHPP.  O caso está sendo investigado pelos agentes da 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (2ª DPHPP), sob comando da delegada Roberta Bertoldo. 

A vítima, Munike Fernandes Krischke, 45 anos, era passageira de um Honda WRV, conduzido pelo marido. Residente no bairro Sarandi, o casal deslocava-se para um jantar em um restaurante na Zona Sul de Porto Alegre, em comemoração ao Dia dos Namorados.

O automóvel foi então apedrejado ao passar nas imediações da nova ponte do Guaíba. Ferida gravemente pela pedra que a atingiu dentro do carro, Munike Fernandes Krischke chegou a ser levada pelo marido ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), mas não resistiu e faleceu. Além do esposo, a vítima deixa um filho de seis anos.

MEDIDAS

Logo após o fato, a Polícia Rodoviária Federal realizou buscas na região. Na manhã desta segunda-feira, a PRF informou que o patrulhamento na área foi reforçado e intensificado. O setor de inteligência da instituição também já está mobilizado visando identificar os autores do crime.

Por sua vez, a concessionária ViaSul confirmou que todas as quatro rodovias sob jurisdição dela (BR 290, BR 448, BR 386 e BR 101) serão 100% monitoradas com o projeto de instalação de 1.136 câmeras de segurança, incluindo o trecho da BR 290 junto da ponte do Guaíba onde ocorreu o fato. A CCR ViaSul adiantou ainda que serão substituídas as telas de proteção neste local.


Foto: Arquivo pessoal / Especial / CP


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895