Polícia Civil investiga crimes contra a Administração Pública e contra a Fé Pública em Gravataí

Polícia Civil investiga crimes contra a Administração Pública e contra a Fé Pública em Gravataí

Operação da 2ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção do Deic cumpriu 22 ordens judicias, incluindo a prisão de um arquiteto

Correio do Povo

Mandados foram executados nas sedes das prefeituras de Gravataí e Glorinha, além de residências e empresas dos investigados

publicidade

A Polícia Civil desencadeou na manhã desta quarta-feira a operação Chavirer com a finalidade de apurar em tese crimes contra a Administração Pública e contra a Fé Pública no âmbito do Poder Executivo de Gravataí. Houve o cumprimento de 22 ordens judiciais, sendo 17 mandados de busca e apreensão, um mandado de prisão e quatro suspensões do exercício das funções públicas de servidores públicos.

As ordens judiciais foram cumpridas nas sedes das prefeituras de Gravataí e Glorinha, além de residências e empresas dos investigados. Um arquiteto foi detido. Documentos, mídias e computadores foram recolhidos para serem analisados. A operação contou com a participação de 80 agentes em 25 viaturas.

A operação foi conduzida pela 2ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção (2ª DCCOR), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). A equipe do delegado Vinicios do Valle apurou que o arquiteto, da prefeitura de Gravataí, prestava serviços particulares, inclusive em horários de seu expediente no órgão público, e se locupletava ilicitamente.

O servidor investigado contava com o potencial auxílio de outros agentes públicos, promovendo indeferimentos de projetos urbanísticos protocolados na prefeitura para posteriormente e através de contato direto com as vítimas, apresentar melhorias nos projetos indeferidos. O chamado “Estudo de Impacto de Vizinhança” seria feito pelo próprio suspeito, mas em nome de terceiros, utilizando-se de suas respectivas notas fiscais.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895