Polícia Civil prende dois suspeitos de envolvimento com roubos a bancos no RS

Polícia Civil prende dois suspeitos de envolvimento com roubos a bancos no RS

Criminosos são investigados pelos ataques com explosivos em Segredo e Paraíso do Sul

Correio do Povo

Agentes da 1° Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos do Deic efetuaram as detenções em Carlos Barbosa e Barros Cassal

publicidade

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira a operação Secretum com o objetivo de prender dois envolvidos em ataques com explosivos a bancos, colher mais provas e bloquear ativos em contas bancárias dos suspeitos. A ação foi conduzida pela equipe da 1° Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos, sob comando do delegado João Paulo de Abreu. As prisões ocorreram nas cidades de Carlos Barbosa e Barros Cassal. 

Conforme o delegado João Paulo de Abreu, os dois criminosos são investigados por participação em uma quadrilha que atacou  as agências do Banrisul de Segredo, em 6 de março, e do Bradesco de Paraíso do Sul, em 9 de janeiro, neste ano. “Há indícios de vinculação em outras condutas criminosas, que seguem sendo devidamente apuradas”, observou o titular da 1° Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos do Deic. “Todos os fatos envolvendo emprego de explosivos, no ano de 2020, restaram esclarecidos pela Polícia Civil, através do competente trabalho de investigação criminal desenvolvida pelos agentes”, enfatizou. A ação teve apoio de agentes da DP de Barros Cassal e da DP de Soledade.

Queda

A atuação da Polícia Civil e da Brigada Militar no combate aos ataques a bancos resultou em uma queda recorde de 77% nos casos em julho quando comparados ao mesmo mês do ano passado, passando respectivamente de nove para dois casos entre furtos e roubos em agências bancárias no Rio Grande do Sul. No acumulado, entre janeiro e julho, ocorreu um total de 30 ataques contra 68 em igual período de 2019, representando uma redução de 55%. Para a Secretaria da Segurança Pública, o trabalho de inteligência e estratégia policial conseguiu frear para níveis inéditos um tipo de crime que até alguns anos atrás tinha presença quase diária no cotidiano dos gaúchos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895