Polícia Civil prende "Gordo Dé", um dos criminosos mais procurados do RS, em Santa Catarina

Polícia Civil prende "Gordo Dé", um dos criminosos mais procurados do RS, em Santa Catarina

Foragido há mais de dois anos, André da Silva Dutra responde por homicídios, lavagem de dinheiro, entre outros crimes

Cláudio Isaías

Polícia Civil anunciou hoje a prisão de um dos criminosos mais procurados do RS

publicidade

Em uma operação que contou com a participação de 11 agentes, a Polícia Civil gaúcha prendeu em Santa Catarina um dos criminosos mais procurados do Rio Grande do Sul. André da Silva Dutra, 46 anos, o "Gordo Dé", que responde por homicídios e lavagem de dinheiro, entre outros crimes, estava foragido há mais de dois anos. Ele estava foragido desde junho de 2018, quando desapareceu - 39 minutos após ter recebido uma tornozeleira eletrônica que foi rompida. Ele foi recapturado no domingo pela Polícia Civil. 

A prisão ocorreu no município de Bombinhas, no bairro Morrinhos, em Santa Catarina. Gordo Dé", segundo o delegado Sander Ribas Cajal, diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), era o último grande líder das principais organizações criminosas do Estado que ainda se encontrava em liberdade.

"Gordo Dé" possuía 11 mandados de prisões em aberto, sendo 10 mandados de prisões preventivas expedidos por acusações de homicídios, organização criminosa, tráfico de drogas, associação ao tráfico e lavagem de dinheiro, além de um mandado de prisão decorrente de sentença penal condenatória definitiva, impondo uma pena de 40 anos, quatro meses e 13 dias de reclusão, em virtude da acusação da prática dos crimes de tráfico de drogas, associação criminosa e roubos.

Veja Também

O preso conta com extenso rol de antecedentes criminais, com acusações por 18 homicídios, além de outros crimes como tráfico de drogas, associação ao tráfico, roubos de veículos (10 acusações), participação de organização criminosa, lavagem de dinheiro, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, entre outros crimes. Dutra se encontrava na condição de foragido desde junho de 2018, quando recebeu o benefício da tornozeleira eletrônica, a qual arrancou em 39 minutos após a instalação do equipamento. 

Meses de investigação

Após meses de investigação, os policiais verificaram que o alvo possuía diversos esconderijos no estado catarinense, sendo que, neste domingo, durante o levantamento de um deles, na cidade de Bombinhas, o criminoso foi localizado e capturado.

A prisão foi efetuada pela da Delegacia de Capturas (Decap), do Deic, sob a coordenação do delegado Arthur Raldi. Segundo ele, Gordo Dé tinha familiares que moravam em Santa Catarina e não esperava que a polícia seguisse com o trabalho de investigação para identificar o seu paradeiro. "Seguimos com uma equipe da Delegacia de Capturas na sexta-feira para Bombinhas. O alvo foi localizado na tarde de domingo quando saia de um supermercado na companhia de familiares", ressaltou. 

Conforme o delegado, o criminoso se escondia em mais de um endereço e transitava entre Bombinhas e Florianópolis, em Santa Catarina. "Ele vivia bem em Santa Catarina e conseguia desfrutar da sua liberdade, inclusive realizava passeios de jet sky", acrescentou. Raldi disse que no caso de "Gordo Dé" ele pensou que a Polícia Civil gaúcha havia desistido de encontrá-lo. "Eles têm uma crença que a polícia relaxou e têm outros alvo e que não iria focar neles. No entanto, o nosso trabalho é incansável e uma hora eles são presos", destacou o delegado.

Gordo Dé foi encaminhado para a Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc).  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895