Presídio de Sapucaia do Sul não terá líderes de facção, diz Schirmer
capa

Presídio de Sapucaia do Sul não terá líderes de facção, diz Schirmer

Permuta para construção da casa prisional será assinada nesta quarta-feira

Por
Correio do Povo

Secretário concedeu entrevista à Rádio Guaíba

publicidade

As 600 vagas do novo presídio de Sapucaia do Sul não serão ocupadas por líderes de facção. No entanto, de acordo com o secretário da Segurança Pública Cezar Schirmer, membros dessas organizações, que tenham papéis secundários na facção, podem ser transferidos para a casa prisional.

“Quando a gente diz que não quer presos de facção, estamos nos referido aos líderes dessa facção. Porque em um sistema prisional é raro você encontrar algum preso que não tenha vínculo com facções”, ressaltou o secretário na manhã desta quarta-feira em entrevista à Rádio Guaíba. Schirmer disse ainda que os presos terão que usar uniformes e cumprir horários. “É o Estado assumindo a gestão do presídio”, resumiu.

A permuta que viabilizará a construção do presídio será assinada nesta quarta-feira. A empresa Verdi Sistemas Construtivos Ltda será a responsável pela obra, avaliada em R$ 44,2 milhões, e que ficará em uma área desocupada no bairro Carioca, perto do Parque Zoológico. O estabelecimento penal terá 8,8 mil metros quadrados. As obras devem durar oito meses.

Em contrapartida da construção, o governo do Estado entregará à empresa o ginásio da Brigada Militar, que fica no bairro Santa Cecília, em Porto Alegre. A construção foi parcialmente destruída durante um vendaval na Capital, em outubro de 2017. O secretário Cezar Schirmer garante o governo do Estado construirá um novo ginásio para a corporação e que já possui financiamento para a obra. “Vamos construir um novo complexo que seja moderno, contemporâneo e multiúso”, garantiu.