Preso suspeito de cometer feminicídio e abandonar filho em posto de combustível na Serra

Preso suspeito de cometer feminicídio e abandonar filho em posto de combustível na Serra

Acusado matou a ex-mulher em Araricá e foi capturado em um matagal em São Vendelino

Correio do Povo

Câmera do estabelecimento comercial registrou chegada da S10 para deixar criança no local

publicidade

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou a prisão de um suspeito de ter cometido um feminicídio, no começo da madrugada desta segunda-feira, em São Vendelino, na Serra, após ter abandonado o filho pequeno do casal em um posto de combustível na região. A investigação está com a Polícia Civil de Araricá, no Vale do Rio dos Sinos, onde ocorreu o crime na tarde desse domingo no bairro Grins.

O efetivo da PRF foi alertado de que o acusado, de 41 anos, fugia em uma caminhonete Chevrolet S10, de cor branca, pela BR 470, em direção à Serra. As buscas foram então realizadas em toda a região.

Ao visualizarem finalmente o veículo, os policiais rodoviários federais deram ordem de parada, que foi desobedecida pelo motorista que seguiu em fuga. Após mais de 20 quilômetros de perseguição, já na ERS 122, em São Vendelino, o acusado perdeu o controle da caminhonete e capotou em um matagal.

Ele escapou a pé para dentro do mato, onde permaneceu escondido. A área foi cercada com apoio da Brigada Militar e do Comando Rodoviário da Brigada Militar. Depois de quatro horas de cerco, o suspeito foi localizado e detido próximo do arroio Forromeco.

Nesta manhã, o delegado Clóvis Nei da Silva,  relatou que a vítima, Deise Silva de Oliveira, 28 anos, foi atacada pelo ex-companheiro e deixada por ele na rua Felipe Diefenbach, em Araricá. “Ela sofreu lesões na cabeça e morreu durante socorro no posto de saúde'', afirmou, citando marcas de perfuração.

“O suspeito fugiu e abandonou o filho de dois anos em um posto de gasolina em São Vendelino. Ele responderá por abandono do incapaz, além do feminicídio”, adiantou o delegado Clóvis Nei da Silva. O acusado já respondia por ameaça e vias de fato. A vítima tinha quatro filhos e trabalhava em um salão de beleza.

Foto: PRF / Divulgação / CP


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895