Quadrilha assalta duas agências bancárias em Mariana Pimentel
capa

Quadrilha assalta duas agências bancárias em Mariana Pimentel

Criminosos fugiram com quatro reféns e dispararam tiros contra policiais

Por
Heron Vidal

Criminosos fugiram para dentro da mata na região, próximo da saída da cidade

publicidade

Mariana Pimentel, município onde residem 4 mil pessoas, distante 76 quilômetros de Porto Alegre, foi aterrorizada na tarde desta quarta-feira durante o assalto violento e com reféns, nas agências bancárias do Banrisul e Sicredi, no centro da cidade. Fortemente armados, em dois SUVs (Tucson e Mitsubishi), os criminosos fizeram um cordão humano, como escudo. Na fuga levaram quatro reféns e dispararam vários tiros contra veículos estacionados e placas do comércio. Ninguém foi ferido.

Conforme o delegado de polícia regional de Camaquã, Vladimir Urack, foram vistos cinco assaltantes, mas o grupo pode ser maior. Usaram fuzis e pistolas na ação. Todos, porém, foram cercados após troca de tiros, no interior de Mariana Pimentel. O veículo Tucson foi incendiado e o Mitsubishi, abandonado. Os criminosos fugiram para dentro da mata na região, próximo da saída da cidade, e foram cercados por policiais civis e da Brigada Militar vindos de Tapes, Barra do Ribeiro, Camaquã, Sertão Santana, Guaíba e outras cidades próximas, informou Urack.

Cidade em estado de choque

A população da cidade está "em estado de choque, traumatizada", disse o prefeito Luiz Renato Mileski Gonczoroski. "Em janeiro deste ano a mesma agência do Banrisul havia sido assaltada e, em abril, houve ataque ao Sicred", recordou o prefeito. "Temos só cinco ou seis policiais efetivos que, dependendo da escala ou ocorrência, atendem também Sertão Santana", criticou Gonczoroski. O assalto começou entre 14h20min e 14h30min. Dois reféns estavam no Banrisul, um deles é zelador que trabalha à noite na prefeitura.

Os outros dois reféns estavam na agência do Sicredi. "Felizmente, eles foram deixados um quilômetro após a fuga, sem agressões, apesar dos tiros." O cordão humano, segundo Gonczoroski tinha entre seis a sete pessoas.

Quando saíram da cidade, os criminosos espalharam miguelitos (ferros retorcidos para furar pneus) e pegaram a estrada Linha Boqueirão Alto, que dá acesso às cidades de Guaíba, Eldorado do Sul, Arroio dos Ratos e Barão do Triunfo. Até o começo da noite, não havia informações sobre resultados do cerco na região.